Assembleia da UCLAF reúne representantes das Províncias e Custódias no México

41

De 24 a 28 de maio será realizada, em Veracruz, México, a  Assembleia Celebrativa-Formativa da União das  Conferências Latino-americanas Franciscanas (UCLAF). Frades que representam as Províncias e Custódias voltam a se encontrar presencialmente depois do último encontro, em 2023, no Convento São Francisco, em São Paulo (BR).  O evento deste ano marca as celebrações dos 500 anos da presença da Ordem  dos Frades Menores (OFM), no país latino-americano.

Representando o Brasil e o Cone Sul, estão no México: Frei Fernando Aparecido dos Santos, da Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus (BR); Frei Daniel Alejandro Fleitas, provincial da Província San Francisco Solano (AR); Frei Carlos  Guillermo Paz Guzmán, Ministro provincial da Província de la Santísima Trindad (CL) e Frei Emílio Luis Andrada, Minsitro provincial da Província de la Assunción de la Santísima Virgen Del Río de la Plata (CL). Eles se unem a outros frades para debater questões relacionadas ao futuro e  o caminho sinodal da Igreja, com olhar voltado para o carisma e a espiritualidade franciscana.

UCLAF é um organismo de animação da Ordem dos Frades Menores que nasceu motivada pelo impulso renovador do Concílio Vaticano II para promover a unidade e a busca de colaboração na vida e na missão da Ordem no contexto da América Latina. Em todos estes anos, ela tem buscado promover a colaboração em suas presenças evangelizadoras (históricos santuários, vicariatos, paróquias, educação, comunicação, trabalho social e iniciativas missionárias) e na formação a partir do carisma franciscano.

Reunião do governo geral com a UCLAF

Neste dia 24 de maio, a reunião do Governo Geral com a UCLAF foi realizada em Veracruz, México. As atividades começaram com uma Santa Missa na Catedral de Veracruz, presidida pelo Vigário Geral Fr. Ignacio Ceja. “A celebração da dedicação da Basílica de São Francisco é uma excelente oportunidade para aprofundar as implicações para a nossa vida e missão da Igreja,  acontecimento que nestes dias celebramos aqui: os 500 anos da chegada dos “doze apóstolos” dos franciscanos. Esses nossos irmãos, ao se entregarem à tarefa de evangelizar os habitantes destas terras, não só lançaram os alicerces. da Igreja no México, mas deram início a um dos empreendimentos evangelizadores mais notáveis ​​da história da Igreja e da nossa Ordem”, comentou o Vigário Geral em sua homilia.

O encontro continuou no teatro Clavijero, com a magistral conferência de Irmã Liliana Franco Echeverry sobre o tema “Os desafios da vida religiosa para a América Latina, a partir da sinodalidade”.  A palestrante iniciou sua fala citando as cinco chaves essenciais do espírito da sinodalidade: a arte da escuta, o olhar contemplativo e a realidade, emanando formas anti-evangélicas, a itinerância existencial e geográfica e, finalmente, a saída missionária na intercongregação e na interculturalidade.

A irmã convidou todos a ver a missão em termos de sinodalidade: “A grande missão é ajudar a construir o ‘nós’ que quer a conversão. Ela convidou os franciscanos a se fazerem sentir neles Francisco, Clara e o cheiro do Evangelho em vida “. Continuou dizendo que “é urgente uma conversão pastoral em chave missionária para tornar possível o nós eclesial, transcendendo a singularidade para viver no dom da pluralidade”.

O encontro continuou com a mensagem do Frei Massimo Fusarelli, Ministro geral, que recordou que os doze apóstolos tiveram um encontro totalmente novo. Eles puderam cumprir a sua missão evangelizadora graças à sua sólida preparação cultural e à leitura dos sinais do Evangelho.
Pediu aos frades uma renovação da ação missionária franciscana a partir de uma relação pessoal com Deus, de uma verdadeira vida fraterna, de uma sobriedade de vida sem se afastar dos mais humildes e deixar-se levar pelo Espírito: “Estou intimamente certo de que o Espírito nos pede outra coisa que é urgente: que tenhamos a coragem de nos deixar levar além das nossas certezas, inclusive pastorais, para imaginar e começar a viver uma ‘nova’ vida franciscana em modos e caminhos, apoiada por meios adequados de preparação para a missão”, salientou.

Além disso, o Ministro convidou os frades a caminharem numa Igreja sinodal ao lado dos leigos, passando da colaboração à corresponsabilidade com eles na missão. Ele também convidou os frades a buscarem novas formas de vida e de evangelização, a retomar as missões da Ordem na Amazônia, Cuba, Haiti, bem como a presença entre os povos indígenas e nas periferias das metrópoles. Concluiu felicitando a celebração do 500º aniversário da chegada dos primeiros frades ao México.

À tarde foi realizada uma conferência de mestrado intitulada “Uma utopia evangelizadora para o Novo Mundo. O projeto missionário dos primeiros 12 franciscanos”. Frei Guillermo Rodriguez Rico apresentou ao expositor Frei Francisco Morales Valerio sua trajetória dentro da Ordem e seus estudos sobre a evangelização dos franciscanos na América.

O Irmão Francis falou sobre o ideal de uma igreja indiana, de um novo cristianismo. Para ele, os franciscanos foram uma chave para a evangelização do século XVI, pois conheceram diretamente a cultura mesoamericana e nela mergulharam. Apresentou como ponto chave o diálogo intercultural realizado pelos frades, o esforço de se conhecerem, numa realidade difícil de encontro de duas culturas totalmente diferentes. Por isso, ao chegar ao México, os missionários se esforçaram para aprender a língua e a cultura e depois levaram a mensagem evangélica para a língua dos povos indígenas.

O encontro terminou à noite com a apresentação da peça “Conhecê-los-ás pelas suas obras”.

Fonte: franciscanos.org.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui