Dia de gratidão na Fraternidade de Bragança Paulista

108

A festa dos Jubileus dos frades da Província da Imaculada Conceição, que todo ano reúne os frades para uma única celebração conjunta, neste ano, devido à pandemia, está sendo celebrada por cada frade em sua comunidade. Nesta quinta-feira, 10 de dezembro, os frades com mais tempo de vida sacerdotal e vida religiosa puderam festejar os seus jubileus na Fraternidade Acolhedora São Francisco de Assis, em Bragança Paulista.

Frei Carlos José Körber, o guardião da Fraternidade, acolheu a todos e falou da alegria de reuni-los na celebração às 18 horas. O Ministro Provincial, Frei César Külkamp, presidiu a Santa Missa nesta Casa que acolhe todos os idosos e enfermos da Província. Normalmente, este encontro reúne todos os frades do Regional de São Paulo, mas por causa das normas sanitárias, só estiveram presentes os frades da nova Fraternidade de Itatiba (SP), vizinha de Bragança.

Liturgicamente, os frades escolheram a Missa da Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, Padroeira da Província e da Ordem, celebrada recentemente. Na capela da Fraternidade, estavam os jubilandos: Frei Olavo Seifert, 79 anos de vida religiosa; Frei Ciríaco Tokarski, 76 anos, não pôde participar mas foi lembrado; Frei Juvenal Sansão, 72 anos; Frei Floriano Surian, 71 anos; Frei Odorico Decker, 65 anos; e Frei Aristides Pasquali, 60 anos. Frei Olavo, que em agosto passado completou 101 anos de vida, celebrou 74 anos de ministério sacerdotal. Frei Floriano celebrou 65 anos e Frei César, 25 anos.

Na sua homilia, Frei César recordou que celebrar esta solenidade da Mãe de Deus, é colocar-se em atitude de contemplação diante de um mistério – o mistério de que Maria foi preservada da mancha herdada pelo pecado das origens da própria humanidade, trazido em forma alegórica no livro do Gênesis. “Aos nossos primeiros pais, Adão e Eva, é atribuída a vulnerabilidade do ser humano diante das forças do mal. Hoje, reconhecemos a existência desta tendência, originada na ruptura com Deus, o criador, perfeitíssimo em sua essência”, disse.

Segundo o Ministro Provincial, a Igreja sempre venerou a santidade da Mãe de Deus, o seu coração inteiramente voltado para Deus, a mulher “cheia de graça” (Lc 1,28), saudada pelo anjo, no texto evangélico que foi ouvido hoje. “Mas foi em 1854, no dia 8 de dezembro, que o Papa Pio IX declarou verdade de fé a conceição imaculada de Maria, como um dogma – uma doutrina contida na Revelação Divina, a ser acreditada por todos os fiéis. Assim, são 166 anos deste dogma. Mas, a nossa Província já foi criada há três séculos e meio, com esta invocação: Província da Imaculada Conceição. E a Ordem Franciscana já celebrava esta solenidade desde o século XIII”, explicou.

“São Francisco mesmo, na simples e belíssima oração, ‘Saudação à Mãe de Deus’, expressa esta verdade com palavras cheias de ternura: ‘Salve ó Senhora Santa…! Em vós residiu e reside toda a plenitude da graça e todo o bem!’. Mas, celebrar a solenidade da Imaculada, para nós hoje, é uma ocasião para refletirmos sobre a nossa vivência cristã, a partir dos mistérios de Jesus Cristo, e, como franciscanos, reviver os valores do nosso carisma que partem da contemplação destes mistérios centrados no Cristo”, lembrou Frei César.

Também recordou o Ministro Provincial: “Somos uma fraternidade de menores, seguidores de Jesus Cristo – Aquele que se fez menor, e isto expresso ao menos em três grandes mistérios, muito caros para São Francisco: a sua Encarnação, a sua Paixão e a Eucaristia. Foi nesta contemplação do Salvador, que São Francisco percebeu o caminho que queria trilhar, abrindo-o para que nós hoje pudéssemos continuar perseguindo seus passos. Como franciscanos, somos provocados ao despojamento radical de nós mesmos e de todas as coisas, e viver como menores, anunciando as bem-aventuranças com alegria – esta é a nossa missão na Igreja, vivida na fidelidade ao Espírito de São Francisco”.

Frei César, então, falou da celebração dos jubileus! “Foi isto que cada um de vocês buscou em suas experiências vividas nos mais diferentes lugares, e continua buscando, com erros e com acertos, porque estamos todos a caminho. A vivência do jubileu, na tradição bíblica, do Livro do Levítico, cap. 25, traz elementos inspiradores: as dívidas eram perdoadas, as penas esquecidas e os escravos libertados. Queremos, hoje, pedir o perdão jubilar de todas as nossas dívidas, culpas. Queremos confirmar e reiniciar a nossa consagração e o nosso serviço ministerial, fundados no primeiro amor, e isto profundamente reconciliados naquele que nos chama a segui-Lo”, animou.

“Mesmo com as limitações impostas pela idade avançada ou por alguma enfermidade, vocês são convidados a manter a fidelidade na resposta generosa que um dia já deram a Deus”, completou, convidando a cada um dos frades a renovar o ‘sim’ no ‘Sim’ ousado de Maria! O ‘Sim’ revestido de humildade e de serviço: “Eis aqui a serva do Senhor”! “Faça-se em mim segundo a tua palavra!”

“Ela não nos chama para si mesma, mas nos aponta para seu Filho. Unidos a Ele e com a confiança e a fidelidade de sua Santíssima Mãe, a Imaculada Conceição, renovemos o nosso amor e o nosso sim!”, salientou.

Frei César ainda lembrou ainda que celebrar o jubileu é também festejar a alegria do bem vivido e fez o seu agradecimento. “É dia de gratidão a Deus que nos deu o dom da vocação e o dom de servir em Seu nome. E em nome de todos os nossos frades e de todos os irmãos e irmãs que participam da nossa vida e da nossa missão, quero agradecer a cada um de vocês por terem compartilhado sua vida e sua missão em fraternidade conosco. Mas, a gratidão só é verdadeira quando se dá a partir da graça de Deus. E, somente n’Ele, que é amor e misericórdia, poderemos cantar com o salmista: ‘Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios’ (Sl 97)”, celebrou, pedindo a intercessão da Bem-aventurada Virgem Maria, em sua Imaculada Conceição, para que abençoe, todos os dias da vida, a cada um.

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui