Não deixemos de ser solidários com as pessoas

196

Queridas irmãs e irmão em Cristo Jesus. Compartilho com cada uma e cada um essa minha reflexão para o tempo de Quaresma.

Tempo de Quaresma é tempo propício para meditarmos em palavras e ações. Convido, hoje, para uma reflexão nas palavras do apóstolo Paulo, registrada em II Cor. 6:1-10.

“E nós, na qualidade de cooperadores com ele, também exortamos a que vocês não recebam em vão a graça de Deus. Porque ele diz: “No tempo aceitável escutei você e no dia da salvação eu o socorri.” Eis agora o tempo oportuno! Eis agora o dia da salvação! Não queremos dar nenhum motivo de escândalo em coisa alguma, para que o ministério não seja censurado. Pelo contrário, em tudo nos recomendamos a nós mesmos como ministros de Deus: na muita paciência, nas aflições, nas privações, nas angústias, nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns, na pureza, no saber, na paciência, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus; pelas armas da justiça, tanto para atacar como defender, por honra e desonra, por infâmia e por fama; como enganadores e sendo verdadeiros; como desconhecidos, mas sendo bem-conhecidos; como se estivéssemos morrendo, mas eis que vivemos; como castigados, porém não mortos; como entristecidos, mas sempre alegres; como pobres; mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, mas possuindo tudo.”

Cada palavra que o apóstolo deixou para a comunidade de Corinto nos leva, também, para o espelho da nossa contemporaneidade.

Na meditação, percebemos que estamos vivendo em permanente dualismo entre o pró e o contra. Esse dualismo chega a nos levar a crises e vontade de desistir de tudo e de todos.

Somos constantemente turbinados com informações ruins e boas. Recebemos notícias de catástrofes climáticas, destruição ambiental, guerras, massacres, pandemias, marcas de muito sofrimento. Mas com minhas próprias forças eu não consigo interferir no processo. Não consigo “dar conta do recado”. Ao mesmo tempo, não quero dar escândalo ao Deus da graça, que diz: “no tempo aceitável, escutei você…”.

Assim, sinto que não podemos nos calar. Precisamos continuar na denúncia e no anúncio. Jesus, vendo o povo cansado, desanimado, abandonado por suas lideranças – que tinham obrigação moral e ética e de assistir com o bem necessário de TODO POVO e, de forma especial, os mais pobres – conclama: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e carregados de fardos, eu vos darei descanso”. (Mt. 11:28).

Alívio também sentimos quando recebemos boas notícias: de amigos, parentes, antigos colegas de estudo ou caminhadas em comum.

Não deixemos de ser solidários com as pessoas que necessitam de um ombro amigo ou palavras de consolo.

QUARESMA é tempo de reflexão, tempo de ouvir e partilhar, é tempo de caminhada e convivência. É assim que chegaremos à PÁSCOA mais preparados, sem censuras.

___

Pastor Inácio Lemke é presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC)

Fonte: CONIC

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui