NOTA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS CATEQUISTAS FRANCISCANAS SOBRE O ATUAL MOMENTO DO BRASIL

822

 

NOTA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS CATEQUISTAS FRANCISCANAS
SOBRE O ATUAL MOMENTO DO BRASIL

“O fruto da justiça será a paz” (Is 32,17)

A Divina Fonte da Vida nos impulsiona a viver a itinerância no mundo em movimento. Ela nos convoca a ver, ouvir, sentir e acolher os gemidos dos pobres, o grito da terra ferida, o clamor pela justiça e pela Paz (cf. Ex 3,7-10).

No seguimento de Jesus Cristo pobre, humilde e crucificado, ao modo de Francisco e Clara de Assis, diante da situação caótica em que se encontra o Brasil, às vésperas de eleger um dos projetos de governança para nosso país, viemos publicamente nos manifestar:

EM DEFESA: da construção da cultura da paz e do bem; do diálogo, respeito e tolerância às diferenças étnicas, culturais, religiosas e de gênero; dos diferentes biomas que abrigam a rica diversidade da fauna, da flora, dos povos da terra e das águas (Povos Indígenas, Comunidades tradicionais, quilombolas, ribeirinhos, extrativistas, agricultores, pescadores, comunidades urbanas); da justiça socioambiental – tema este defendido pelo Papa Francisco; de um projeto de educação que possibilite o desenvolvimento integral da pessoa e o pensamento crítico e político, com postura ética e evangélica, na sociedade e na Igreja.

NÃO APOIAMOS: um projeto de Brasil que defende o fascismo e a ditadura, provocando violência e exclusão; atitudes machistas, homofóbicas, xenofóbicas e de desmedida falta de respeito às instituições e ao Estado Democrático de Direito – tudo isso contrário ao projeto de Jesus Cristo.

CONCLAMAMOS: as famílias, as Comunidades Eclesiais de Base, os grupos e pastorais, a sociedade como um todo, para que votem em favor da democracia e da construção de um Brasil justo e solidário, “para que todos tenham vida e vida em abundância” (cf. Jo 10,10).

MANIFESTAMOS APOIO E SOLIDARIEDADE: à Conferência dos Religiosos do Brasil – CRB, à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB, ao Conselho Indigenista Missionário – CIMI, às lideranças e outras pessoas que estão sendo vítimas de agressão e desrespeito.

Irmanadas na construção da Paz e do Bem,

Izaura Souza Cordeiro – Coordenação geral da Congregação
Ana Lucia Corbani – Coordenação da Província Irmã Cléglia Ânesi
Edilucia de Freitas – Coordenação da Província Santa Teresa do Menino Jesus
Lucia Gianesini – Coordenação da Província Imaculado Coração de Maria
Lurdes Favretto – Coordenação da Província São Francisco de Assis
Maria Diva Schiochet – Coordenação da Província Santa Clara de Assis
Terezinha Maria Dalcegio – Coordenação da Província Irmã Amábile Avosani

Joinville, 23 de outubro de 2018.

 

1 COMENTÁRIO

  1. Admiro a missão da congregação e acredito que trabalham com amor. Porém falar de gênero e respeito, não fica bem aos integrantes católicos , pois é de conhecimento público que homens homossexuais não são aceitos em seminário pelo simples fato de ser homossexual e ainda está escrito no catecismo católico ” são atitudes contrário a natureza intrinsecamente desordenadas as práticas homossexuais” pecado mortal. E ainda, peço que falem objetivamente que apoiam o PT e não fiquem em cima do muro. Pois está claro pela nota dos senhores. Dizer que a Igreja não se posiciona pra apoiar partido A ou B é enganar as pessoas, muitos padres e freiras estão claramente apoiando PT em redes sociais e nas notas da CNBB, também ficou muito claro, que a Igreja apoia o PT. Dizer que não apoia nenhum partido é mentir e quem o pai da mentira?. Me perdoem pela minha sinceridade. Desejo paz e bem a todos e a todas Deus continue abençoando abundantemente os senhores(as) . Abraço fraterno!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui