5 grandes pregadores da história da Igreja Católica

46

“Como poderiam crer naquele que não ouviram? E como poderiam ouvir sem pregador? E como podem pregar se não forem enviados?” (Rm 10,14-15)

Assim diz o apóstolo São Paulo para os Romanos e também para todos nós, cristãos: várias pessoas são chamadas por Deus, direta ou indiretamente, para anunciar e testemunhar o Evangelho, na modalidade de primeiro anúncio.

É o embaixador de Deus, aquela pessoa especialmente escolhida para falar em nome de Jesus. A partir dessa eleição, um pregador busca configurar sua vida à vida de Cristo, deixando que Nosso Senhor seja, por meio do Espirito Santo, o maior motivo de sua pregação.

Por isso, citamos aqui cinco exemplos, entre vários outros, de Santos da Igreja e também ministros ordenados que têm como principal dom dado por Deus o anúncio dessa Boa Nova.

Com sabedoria e equilíbrio, essas pessoas depositaram e ainda depositam suas vidas pela Palavra de Deus, testemunhando Jesus em todos os lugares.

Wikipedia
Wikipedia

Santo Antônio de Pádua

Celebrado em 13 de junho, quando tinha apenas dois anos como Sacerdote, seu superior solicitou que ele fizesse um sermão para novos padres que estavam sendo ordenados. Obediente à ordem recebida, Antônio fez uma pregação mostrando sua grande sabedoria bíblica e com espiritualidade envolvente em suas palavras.

Foi esta a revelação de um grande talento que até então por todos era ignorado. Ele falava com o povo, compartilhando sua existência humilde e atormentada, alternando o compromisso de catequização com o trabalho pacificador, atendia confissões, confrontando pessoalmente ou publicamente com os defensores das heresias.

Reprodução
Reprodução

São Domingos de Gusmão

Em sua época, logo após se tornar sacerdote, em 1206, começou a se propagar a heresia dos Cátaros, que dizia que Jesus era homem, e não Deus.

A urgência de pregar, explicar e testemunhar a fé suscitou em Domingos uma certeza: sua missão era pregar a todos com paixão mediante encontros, exortações, debates em público e, de forma particular, quando a Virgem Maria apareceu para ele, pedindo que difundisse a devoção e a oração do Santo Rosário, prometendo que, com isto, a conversão dos hereges teria início, além de ajudar na salvação dos fiéis.

A fama de santidade de São Domingos se espalhava pela Europa e ele começou a atrair pessoas que almejavam seguir seu carisma e apostolado. Assim nasceu um pequeno grupo de jovens liderados por ele. O grupo foi chamado de “Irmãos Pregadores”, que após a aprovação do Papa Honório III se tornou a “Ordem dos Frades Pregadores”, que por causa do Santo, são chamados de Dominicanos.

Arquivo Provincial
Arquivo Provincial

Padre Vitor Coelho de Almeida, C.Ss.R.

“Apóstolo de Aparecida” desde o início de sua missão, pelo amor à Catequese das crianças, já demonstrava ser um grande anunciador do Evangelho de Cristo, justamente para que os pequenos não sofressem o que ele sofreu em sua infância por falta de formação religiosa.

Após se recuperar da tuberculose, em 1949, Deus indicou um novo caminho: a pregação no Santuário Nacional e também pelos meios de comunicação, propagando ainda mais a devoção à Mãe Aparecida.

Um dos grandes incentivadores da Rádio Aparecida desde a sua fundação em 1951, foi a principal voz profética da emissora durante 36 anos. Seus assuntos prediletos eram: Catequese, Sagrada Escritura, formação de comunidades rurais, saúde pública, sanitária e Doutrina Social da Igreja.

A audiência cativa de seus programas era enorme. Foi por meio dele que a Consagração a Nossa Senhora Aparecida ganhou repercussão nacional. Além disso, Padre Vítor era muito atuante em promover a solidariedade dos devotos como fator de importância na divulgação da Palavra de Deus.

“Quem ajuda a pregação tem merecimento de pregador”, era uma de suas principais citações em seus anos como missionário redentorista em Aparecida.

Reprodução/ Diocese de Rieti
Reprodução/ Diocese de Rieti

Frei Raniero Cantalamessa

Eleito Cardeal pelo Papa Francisco em 2020, o frei e teólogo italiano de 86 anos da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, é pregador para a Casa Papal desde 1980, quando foi convidado pelo Papa João Paulo II.

Hoje as suas principais atribuições consistem em fazer uma pregação ao papa e aos membros da Cúria Romana todas as sextas-feiras do Advento e da Quaresma, além da homilia da Celebração da Paixão, sendo a única pessoa autorizada a pregar ao Papa.

Ao ser eleito Cardeal, falou do porque não querer ser Bispo. “Visto que existe esta possibilidade, pedi ao Santo Padre a dispensa da ordenação episcopal. A função do Bispo é ser pastor e pescador. Na minha idade, há muito pouco que eu pudesse fazer como ‘pastor’; por outro lado, o que poderia fazer como ‘pescador’, posso continuar a fazer anunciando a palavra de Deus“, disse ele em entrevista ao site da diocese de Rieti, na Itália.

Em uma de suas pregações, o Cardeal falou de Deus como criador do Universo.

Felipe Guimarães/A12
Felipe Guimarães/A12

Padre Zezinho, scj

Um dos pioneiros no Brasil em pregar o Evangelho de diversas maneiras, se destacando mais pela comunicação e música. A partir da sua amizade com a Irmã Maria Nogueira, que dirigia a gravadora Paulinas-Comep em 1969, começou a lançar canções, pregações e escritos que mudaram a vida de muitas pessoas.

Em 2019, Padre Zezinho lançou o livro “Meu Cristo é mais Cristo que seu Cristo”, em parceria com a Editora Santuário –  onde ele questiona a maneira pretensiosa como muitos pregadores e grupos cristãos falam de Jesus Cristo e sobre a fé cristã.

“Queremos formar a consciência dos católicos, sem se deixa levar por mentiras de gente atacando a nossa Igreja. Toda gente que mente e joga um contra o outro, cristão não é. Vamos orientar os católicos a não comprar mercadoria estragada. Mentiu, não é de Cristo, disse o dehoniano em entrevista ao A12 e ao Jornal Santuário. 

Fonte: A12 Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui