A Nova Vida de São Francisco de Assis, de Tomás de Celano – I

127

DESCOBERTA POR JACQUES DALARUN

Foi aos 16 de janeiro de 2015 que o mundo franciscano tem uma grata notícia: o medievalista francês Jacques Dalarun, que há muitos anos estava atrás desta obra, anuncia oficialmente a descoberta de A Vida do Bem-Aventurado Pai Francisco, cujo autor é Tomás de Celano, um resumo da Vita Primeira, do mesmo autor. É a descoberta mais importante neste século para a historiografia franciscana, para a espiritualidade franciscana e para todos os que amam e se aprofundam na vida do Poverello de Assis. De Tomás de Celano, no conjunto de sua obra chamada Memorial do desejo da alma ou Corpus Celanensis, temos a “Vida Primeira” (1228), a “Vida Segunda” (1247), o “Tratado dos Milagres” (1253), a “Legenda para o uso do Coro” (1250), a “Bula de Canonização de Santa Clara” (1255), a “Legenda de Santa Clara” (1255) e agora temos esta “Nova Vida de São Francisco” escrita em 1265.

Para conhecermos a importância de Dalarun vamos citar o que escreve o Prof. Dr. Igor S. Teixeira, professor de História Medieval da UFRGS, no Prefácio do Tradutor: “Jacques Dalarun (1952) é um historiador medievalista francês, autor de mais de 30 livros com ênfase no estudo da religiosidade mendicante no século XIII. Especialista em temas da história da Ordem dos Frades Menores Franciscanos, organizou em 2009, entre outras obras, uma grande coleção intitulada François d’Assisse: Écrits, Vies, Témoignages (Francisco de Assis: escritos, vidas e testemunhos), que encabeçou as comemorações do oitavo centenário da Ordem religiosa” (in Dalarun J. A Vida Descoberta de Francisco de Assis, Tradução Igor Salomão Teixeira, UFRGS Editora, Porto Alegre, 2016, p.7).

Desde 2007, Jacques Dalarun estava pesquisando e ajuntando fragmentos de manuscritos que falavam da vida, da estigmatização (1224) e do traslado do corpo para a Basílica de Assis (1230), e alguns milagres. Ele chamou esta coleção de fragmentos de Legenda da Úmbria, e para atribuir estes escritos a Tomás de Celano fez uma minuciosa pesquisa de estilo literário celanense, cenários e o constante pedido dos Ministros Gerais para que se recolhessem e compactassem as múltiplas Legendas sobre o Santo de Assis. Na Biblioteca Vaticana ele encontrou um antiquíssimo Breviário onde as leituras do Ofício Litúrgico da festa de São Francisco estavam lá, praticamente raspadas e quase que ilegíveis. Comparou com leituras presentes em outros Breviários dos Beneditinos e Agostinianos, como uma Legenda Litúrgica, muito importante para o Ofício das Leituras e a edificação da vida a partir da vida do santo.

Aos 15 de Setembro de 2014, Jacques Dalarun, fica sabendo através de seu amigo Sean L. Field, de Vermont, que um manuscrito está à venda através de um site chamado Les Enluminures; e que este contem trechos da Vida de São Francisco que estão nos já citados Breviários da Biblioteca Vaticana e na compilação que Dalarun denominou Legenda da Úmbria. A pesquisadora Laura Light faz uma preciosa análise deste manuscrito e dá a ele a devida importância, mostrando que podia ser mesmo um texto de Tomás de Celano e dando razão aos argumentos bem fundamentados de Dalarun. Imediatamente Jacques Dalarun encontra as evidências que buscava desde 2007 e tem a certeza de que trata-se de uma Vida de São Francisco escrita por Tomás de Celano sob pedido do Ministro Geral Frei Elias. Dalarun comunica a descoberta a Isabelle Le Masne de Chermont, diretora do Departamento de Manuscritos da Biblioteca Nacional da França, e com o consentimento do presidente da BNF, Bruno Racine, a Biblioteca compra o manuscrito.

Diz a tradução brasileira da UFRGS acima citada: “Esse volume de pequeníssimas dimensões (120 x 82 mm), desprovido de capa, formado de 122 fólios de pergaminho de péssima qualidade, certamente foi copiado na década de 1230 nas proximidades de Assis para uso de um frade menor. Amarrotado, vincado, escurecido, manchado, ele não parece grande coisa e serve bem à imagem de simplicidade e pobreza franciscanas. Mas ele guarda um tesouro de textos desconhecidos” (A Vida Descoberta, p.14).

Na sequência darei umas características desta Nova Vida e farei um resumo de suas principais ideias.

Frei Vitorio Mazzuco

CONTINUA…

Fonte: Blog Frei Vitório

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui