Mensagem da presidente para a Páscoa

10054

Download 

MENSAGEM DE PÁSCOA

 

“Se estamos vivos, é para o Senhor que vivemos; se morremos, é para o Senhor que morremos. Portanto, vivos ou mortos, pertencemos ao Senhor. Cristo morreu e ressuscitou exatamente para isto, para ser Senhor dos mortos e dos vivos”
(Rm 14, 7-9).

 Queridas irmãs e irmãos,

Celebrar a Páscoa do Senhor nos dá a certeza de que Cristo ressuscitou, vive entre nós, é Senhor dos vivos. E, pensando nos viventes e peregrinos, recordamos que a humanidade vivenciou um longo período de medo, angústia, solidão, desespero, dentre tantos outros sentimentos e realidades que continuam dilacerando vidas e corações como as ameaças à nossa Casa Comum e aos povos originários; as guerras em várias partes do mundo e os terremotos e enchentes que deixam inúmeros mortos, feridos e desabrigados; o aumento da fome e o empobrecimento dos povos, bem como o panorama político e as ameaças à democracia. Assim posto, é em meio a esta complexa realidade que celebramos um acontecimento que faz renascer em nossos corações a esperança: a Páscoa do Senhor.

O Cristo ressuscitado, Senhor da vida e da história, que tem o poder de lançar luz sobre nós e dentro de nós, ajude-nos a superar as dificuldades e angústias que marcam nossas vidas e a história de nosso tempo. Ele, que abriu as portas do sepulcro, abra nossos corações às necessidades de nossos irmãos e irmãs que batem à nossa porta à procura de pão e do reconhecimento de dignidade humana e nos ensine a amá-los, pois “amar o próximo pode exigir um salto de fé. O resultado, porém, é o ato fundador da humanidade. Também é a passagem decisiva do instinto de sobrevivência” (BAUMAN).

Irmãs e irmãos da CFFB, recordemo-nos de São Francisco de Assis, seu testemunho de seguimento de Jesus Cristo. Com seu coração aberto e espírito alegre, irmanado com todos os irmãos e irmãs, soube integrar as dificuldades da vida porque nutria a certeza da presença de Deus e por Ele deixava-se conduzir (2Cel 19, 5). Conforme narra Tomás de Celano, Francisco trazia Jesus no coração, na boca, nos ouvidos, nos olhos, nas mãos, nos sentimentos e em todos os demais membros (cf. 1Cel 9, 115).

Vivenciamos o período quaresmal em que fomos conduzidos, diariamente, a refletir sobre a dimensão profunda do Seguimento de Jesus, que requer de nós uma busca de esvaziamento do impulso egóico diante da transcendência de uma vida que se fez entrega e doação total: a do Filho de Deus. Este período encerra-se com a explosão da ressurreição de Jesus, a Páscoa. A exemplo do seráfico pai, cultivemos a certeza de que Ele, Senhor dos vivos e dos mortos, está presente em nós e entre nós. Deixemo-nos conduzir pelo Altíssimo, somente assim O levaremos nas mãos, nos pés e no coração.

É Páscoa, tempo de esperançar. Que a luz do Ressuscitado seja fonte de renascimento para todos nós.

Fraterno abraço,

Brasília, 04 de abril de 2023

Irmã Cleusa Aparecida Neves, CFA
Presidente da CFFB

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui