À espera do Emanuel!

137

Advento: tempo de espera, de cuidado, de esperançar. De abrir o coração e deixar o amor entrar, confiar… O NOVO vai chegar!

Olá! Eu me chamo…! E o Deus em quem acredito e espero se chama…!

Descobri com os Profetas que esse Deus, no qual acredito, criou a terra, lhe deu estabilidade, e ela produziu todas as plantas; deu alento a seus habitantes e vida aos seres que habitam nela (cf. Is 42,5). Esse Deus disse que não existiu nenhum outro deus antes d’Ele e nem vai existir depois. E afirmou: Eu sou Yavé, sou o único Salvador; sou aquele que vos anunciou, vos salvou e vos falou. Eu sou Deus e sempre fui (cf. Is 43,10-13). O mesmo Deus Criador nos garantiu a salvação!

Ele disse também para não termos medo, se der enchente ou seca, se aparecer um coronavírus que nos maltrate e nos encha de problemas, porque Ele está conosco (cf. Is 43,1-5).

Mas como teríamos tanta certeza disso, se por várias gerações o povo de Israel fugiu dos opressores, das pragas, e nada de chegar à “terra prometida”? Mas, de repente, veio um anúncio: Eu vi meu povo humilhado, escutei que os donos do poder o tratavam mal, conheci seus sofrimentos, e então desci para libertá-lo (cf. Ex 3,7-8) e garantir que tivesse comida, saúde, educação…

E o Profeta põe nova “luz no horizonte”: A terra seca vai ter água, vai ter flores e frutos…! Quem estava com as pernas e as mãos meio fracas, já vai se recuperar! E digam para os que estão assustados: Calma! Não tenham medo, porque o vosso Deus já vem, e Ele mesmo vai salvar vocês! Até quem é cego vai ver, quem é surdo vai escutar, quem está aleijado vai dançar e os mudos vão fazer uma gritaria de contentes! Alegria e felicidade vão ser para todos! (cf. Is 35,1-10). Haverá um sinal: “a virgem dará à luz um filho e porá o nome de Emanuel” (Is 7,14). Por isso, preparem o caminho do Senhor! (cf. Is 40,3-4).

Neste tempo, estamos nós à espera “d’Aquele que há de vir”. Como Deus nunca chega tarde, chega na hora certa, e sabe muito bem o que tem que fazer, está plasmando um mundo novo, está modelando como o oleiro, “está gestando coisas novas” (Ap 21,5). Ele não se cansa na sua ação, porque é o Deus da história, não perde o controle dela.

Deus não se limita em dar-nos o mundo visível, mas nesta doação quis dar-se a Si mesmo. Por isso, nos enviou seu Filho que “se fez carne e veio morar entre nós” (Jo 1,14). Veio partilhar nossa vida cotidiana e, nesta dinâmica, permite que o ser humano seja capaz de dar-se também a outros seres humanos.

Maria é quem vive o primeiro “advento”, quem espera o primeiro “natal”, e o faz trabalhando. Ajuda Isabel, fala pelos que não têm voz, acreditando que é Deus quem faz as coisas. Leva Jesus a todo lado, porque ele está dentro dela. Maria ensina que para levá-Lo é preciso tê-Lo.

Santa Clara diz a Inês de Praga: “Assim como a gloriosa Virgem das virgens o trouxe materialmente, assim também você, seguindo os seus passos (…) poderá trazê-lo espiritualmente” (3In 24-25).

A autêntica forma de esperar Deus é trabalhando, seguindo os passos de Jesus, indo ao encontro do necessitado, para aliviar suas dores, para dar uma palavra que consola e alimentar a esperança.

Esse mesmo Jesus que levamos é encontrado em nossos irmãos e irmãs. Adrián Romero canta sua experiência: “Ayer Te vi, fue más claro que la luna. En mí, no quedaron dudas, fue una clara aparición. Te vi en un niño de la calla sin un lugar para dormir, Te vi en sus manos extendidas pidiendo pan para vivir…Te vi en un cuarto de hospital, en soledad Te vi llorar. Te vi en un rostro atribulado… Ayer Te vi…”

Maria “entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel” (Lc 1,40), e esse simples gesto desencadeou tantas coisas! Tornou-se uma bênção! Minha saudação também tem que desencadear algo novo! Tem que provocar efeitos! Minhas saudações são bênçãos?

“Feliz de ti que acreditaste, porque vai acontecer o que o Senhor te prometeu” (Lc 1,45). Somos felizes porque acreditamos que vai se cumprir o que Deus tem projetado para a humanidade! Pelo Espírito, a anciã Isabel compreende que Deus está fazendo grandes coisas, nela e na jovem Maria. Então, a história está mudando!

Se você está magoada(o), triste, doente…, faça um gesto de caridade, uma esmola, uma oferta para uma obra de formação humana, um pãozinho para o faminto, uma saudação, um sorriso…, e a história estará se transformando, dentro de você e no seu entorno!

Advento!! Esperemos a Deus, o Emanuel, trabalhando! E quando Ele vier, é preciso ALEGRAR-SE! Que se note que veio e que em nós permanece! FELIZ NATAL!

Por Irmã Valdira Giordani

Fonte: CICAF

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui