Canarinhos, as vozes que encantam o Brasil, no Pantanal

362

Depois de dois anos de pandemia e com atividades remotas, chegou a hora dos Corais dos Canarinhos de Petrópolis (RJ) botarem o pé na estrada rumo à capital dos ipês, Campo Grande, no estado do Mato Grosso do Sul (MS). Há mais de oito meses, a viagem vem sendo planejada pela equipe do Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis (IMCP), que promete deixar seu recado artístico, pela primeira vez, em terras sul-mato-grossenses. De malas prontas, na bagagem consta um motivo especial: cantar na Ordenação Presbiteral e Primeira Missa de Frei Jorge Henrique Lisot Camargo, que por dois anos acompanhou os coralistas na Cidade Imperial.

O roteiro da viagem começou nesta quarta-feira (27/04), com saída marcada para às 14 horas e vai até o dia 2 de maio. Através das vozes das crianças e jovens dos corais, a viagem tem também como objetivo divulgar a cidade de Petrópolis e o Ponto de Cultura de uma forma leve e tranquila através da música e da arte. Além da ordenação, os coralistas farão um concerto na cidade de Campo Grande no dia 29 de abril, às 20h.

Sem nenhum apoio de empresa privada ou pública, o IMCP se esforçou para que esta viagem, que não possui nenhum custo para as famílias dos cantores, acontecesse. A verba é originária do projeto da “Comissão de Pais” que existe no IMCP desde 2005. Além disso, para ajudar nos custos a instituição está vendendo ecobags pelo valor de R$ 20,00.

Para o presidente do IMCP, Frei Marcos Antonio de Andrade, é uma alegria poder realizar esta viagem para o MS. “Depois de tantos momentos difíceis em nosso país, principalmente em nossa cidade, poder marcar presença nestes eventos é, sem dúvida, uma grande dádiva, fruto de muito esforço e dedicação de todos os coralistas, bem como de seus maestros, pais e equipe administrativa do Instituto”, disse.

Frei Marcos explica que viagens como esta ajudam na formação humana, integral e espiritual dos Corais. “Sem dúvida, é um importante momento para estarmos juntos e afinados com aquilo que nosso pai São Francisco sempre nos pediu: cantarmos os louvores de Deus e de toda a criação”, frisou.

Frei Jorge que será ordenado presbítero na Catedral de Dourados no dia 1º de maio, às 10h, não esconde a alegria e satisfação de receber os coralistas. “Minha expectativa com a vinda do coral ao MS é muito grande, porque esta viagem implica o encontro de dois mundos diferentes e será uma experiência nova tanto para os coralistas como para os sul-mato-grossenses”, afirmou. “Ser de alguma forma, a ponte para este evento me deixa muito honrado e eu desejo que, no conjunto de tudo, brilhe a beleza daquilo que cremos e ensinamos e que as pessoas se encantem com o que os Canarinhos sabem fazer de melhor: cantar”, acrescentou.

“Meu percurso vocacional na vida franciscana completa 11 anos e celebrar a Ordenação Presbiteral com a presença do Coral dos Canarinhos e das Meninas dos Canarinhos é algo que, até pouco tempo parecia apenas um sonho. Trabalhei com os corais por dois anos, durante os quais participei de ensaios, viajei para congressos e apresentações e pensava: quando será que teremos a chance de mostrar este trabalho no Mato Grosso do Sul? Jamais imaginaria que isso se realizaria em um momento tão especial da minha vida”, revelou.

Para o diretor artístico e maestro do Coral dos Canarinhos, Marco Aurélio Lischt, as expectativas são grandes em vários aspectos. Segundo ele, os sul-mato-grossenses podem esperar um programa sacro e popular. “Esperamos contribuir para que o nosso Brasil se torne um país melhor com mais música e menos conflitos sociais”, disse.

No entanto, depois de tanto tempo com ensaios remotos, os desafios de levar o coro para cumprir sua principal finalidade que é a de cantar não foi fácil. “Um dos desafios é restaurar o som do coro, com os diversos aspectos que nele são necessários. Como ficaram por muito tempo longe uns dos outros, estamos reaprendendo a ouvir, para depois poder cantar”, sublinhou. E garantiu um repertório com canções como, Ave Maria de Bach/Gounod, Hallelujah de Haendel, Correnteza de Tom Jobim, como também outros grandes sucessos da Música Popular Brasileira (MPB).

Educadora franciscana há mais de 20 anos, Rose de Mello, também é gestora do IMCP. Para ela, as expectativas são as melhores. “Penso que uma viagem deste porte é muito importante na formação dos coralistas. Além da música, em uma viagem como esta são desenvolvidos vários aspectos, como a relação interpessoal, o contato com uma cultura diferente e a oportunidade de vivenciar o lugar e não somente conhecer”, disse. Segundo ela, um dos principais desafios foi levantar verba para o pagamento da viagem. “Estamos saindo de uma pandemia e o setor de cultura foi um dos mais afetados, por isso, estamos aceitando doações”.

O maestro titular do Coral das Meninas dos Canarinhos, Marcelo Vizzani, também acompanhará a viagem e destaca a alegria de juntar os dois corais nesta empreitada. “Isso é um fortalecimento institucional”, destacou. Para ele, uma viagem é sempre importante. “Não é um passeio, é uma turnê artística que contempla disciplina, esforços de fazer o melhor, além de aumentar o leque cultural e educativo de todos os coralistas”.

Uma identidade visual foi criada para a viagem pelo designer gráfico Alexandre Campos. A logo com letras grandes e de forma estilizada apresenta aspectos do Pantanal, como o longo pôr do sol no horizonte, o famoso ipê e também os jaburus, símbolos e cenários típicos do MS.

Acompanhe a viagem dos corais pelas mídias digitais do Coral dos Canarinhos de Petrópolis.

(Frei Augusto Luiz Gabriel)

Fonte: Vatican News

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui