CELAM: mensagem ao Povo de Deus

106

Numa mensagem ao Povo de Deus, fruto da sua 38ª Assembleia Geral, o Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM), faz uma análise da realidade, marcada pela pandemia da Covid-19 e, dentro do seu processo de renovação e reestruturação, convida o Povo de Deus “a procurar novos caminhos e estratégias para promover com maior audácia a opção missionária”.

As palavras dos pastores querem ser “de esperança e compromisso”, sublinhando que apesar “da angústia, tristeza e incertezas” causadas pela pandemia, nos mostrou “que somos um povo solidário, aberto às necessidades dos outros e sentindo a dor daqueles que sofrem”, uma atitude também presente nos membros da Igreja, “uma comunidade em caridade e em abertura à esperança que gera um novo amanhecer”.

Pelo que foi vivido na 38ª Assembleia Geral, é evidente que o processo de renovação e reestruturação visa fazer do CELAM um grande Centro de Pastoral Continental, “mais de acordo com as situações atuais na nossa região sob a inspiração que o Evangelho nos oferece”. Numa nova realidade, o CELAM “é obrigado a procurar novos caminhos e estratégias para promover com maior audácia a opção missionária”, com uma pastoral que torna presente o Reino de Deus, como uma Igreja Sinodal em saída.

O CELAM apela a todos para se envolverem “no ser e no trabalho da Igreja”, na diversidade e na comunhão, tendo como base “a força da sinodalidade onde todos temos o direito de participar, caminhando juntos”. A mensagem insiste em não permanecer nos desafios e descobrir as “novas oportunidades e imensas possibilidades de testemunhar o amor de Deus”, procurando “novas formas de evangelização e serviço, com o ardor de discípulos autênticos em saída missionária”, conscientes da presença de Jesus Ressuscitado, o que ajuda no “discernimento sobre as novas perspectivas e transformações da realidade para focalizar as respostas pastorais necessárias”.

A mensagem sublinha ainda a importância da “Primeira Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe”, que é vista como um sinal de esperança. É um “evento em chave sinodal e participativa”, a fim de “procurar e desenhar juntos novos caminhos para o anúncio do Evangelho com o protagonismo e a participação de todos”. É um apelo a caminhar “numa atitude sincera de comunhão, colegialidade, eclesialidade e sinodalidade”. Para isso pedem a intercessão de Nossa Senhora de Guadalupe, a quem confiam “os sonhos, o trabalho e o impulso missionário”.

Fonte: Vatican News

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui