Coronavírus: Carta do Ministro Geral a todos os irmãos da OFM

400
FRANCISCANS-PERRY

Que o Senhor te dê paz!

Nos últimos três meses, desde a descoberta do novo Coronavírus, testemunhamos sua proliferação progressiva a partir de uma região específica da China para mais de 115 países. Praticamente toda a comunidade humana está envolvida em uma grande batalha para tentar conter sua disseminação, cuidar dos infectados (mais de 126.000) e lamentar entes queridos que morreram (mais de 4.500). O impacto econômico nas nações, famílias, indivíduos e, especialmente, nos pobres será, sem dúvida, catastrófico.

Nos estágios iniciais dessa pandemia, talvez podemos nos sentir protegidos, imunes, distantes e até um pouco despreocupados com o vírus e seu impacto. No entanto, como o vírus continua sua disseminação implacável, encontramo-nos no epicentro de uma crise. Ainda existem muitos aspectos científicos do vírus que não são totalmente compreendidos. Não respeita fronteiras ou limites: físico, social, psicológico, religioso ou cultural. Sua capacidade estratégica de pular de um indivíduo para outro o torna particularmente agressivo. As respostas elaboradas e aplicadas pelos governos para impedir sua proliferação exigem de nós sacrifícios que restringem o exercício de nossas liberdades pessoais, como nunca experimentamos antes. E, no entanto, essas medidas são necessárias para impedir a disseminação do vírus.

Minha intenção ao escrever-lhes neste momento crucial, é para ajudar a dissipar os medos e a ansiedade. Para aqueles de nós que vivem em países que foram desproporcionalmente afetados até o momento, quero encorajá-lo a permanecer fortes na fé. Para aqueles que vivem em países que sofrem menos infecções, permaneçam vigilantes o tempo todo. Durante este período litúrgico especial da Quaresma, os cristãos são convidados a acompanhar Jesus, lembrando as grandes lutas e crises que ele enfrentou, lembrando também sua morte na cruz como sacrifício de puro amor.

Mas nem sofrimento nem morte tiveram a última palavra em suas vidas, nem deveriam tê-lo em nossas vidas. A esperança que o evento da ressurreição oferece e os atos diários de justiça, misericórdia e amor devem nos inspirar a olhar além de todo medo, ansiedade e perceber a presença de Jesus que continua a falar conosco as mesmas palavras que seus amigos e amados discípulos: «Não tenhas medo! Estou com você até o fim dos tempos».

No meio dessa epidemia mundial, não vamos perder de vista o incontável grupo de pessoas em todo o mundo que estão passando por outras crises. Nossos corações se dirigem aos povos da Síria, República Democrática do Congo, Venezuela, Mindanao, Repúblicas do Sudão e Sudão do Sul, Palestina, Líbano, e aos irmãos e irmãs que vivem em outras partes do mundo onde a dignidade humana, direitos fundamentais e sobrevivência física básica estão sempre ameaçados. Aproveitemos esta circunstância para superar todas as divisões e medos e busquemos caminhos que conduzam a um diálogo autêntico, à cooperação e à promoção do bem-estar de toda a humanidade, especialmente dos pobres e excluídos. Vamos também aprofundar nosso compromisso de amar e cuidar do ambiente natural, nossa casa comum.

Que o Senhor vos abençoe, meus queridos irmãos. Permitamos que a força de nossas convicções, nosso compromisso com o modo de vida evangélico inspirado por São Francisco de Assis, nos permita ser testemunhas fiéis do poder do amor e da esperança que nossa fé oferece em todas os âmbitos da vida.

Em Roma, em 12 de março de 2020

Fraternalmente em Cristo e Francisco,
Ir. Michael A. Perry, OFM
Ministro Geral e Servo

Fonte: Província Santa Cruz, OFM

1 COMENTÁRIO

  1. Ao ministro geral da OFM. Agradecemo por essa carta tão importante para todos que leram.Ela veio pra nos encorajar cada vez mais. O meu muito obrigada, Deus vos abençoe pela intercessão de São Fran cisco de Assis.
    Elisabete. Natal rn
    Pax et bonum!

Deixe uma resposta para Elisabete de AzevedoRicha Cancelar comentário

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui