Faleceu Frei Isaías Borghetti, OFMCap responsável pela introdução da TV a cores no Brasil

27

Frei Isaías Borghetti faleceu dia 05 de fevereiro, na Casa São Frei Pio, em Caxias do Sul. Nasceu no dia 14 de agosto de 1936 em Vila Fão/RS.

Desde meados de 2018, na Casa São Frei Pio recebia cuidados de saúde. Até o final de 2023 ainda ajudava no atendimento na matriz Imaculada Conceição.

Ingressou no Seminário Santo Antônio, de Vila Flores em 1950, completou o ensino médio em Veranópolis, Ipê e  Marau. Fez o noviciado em Flores da Cunha, com profissão em janeiro de 1957 e votos solenes em janeiro de 1960. Formou-se em Filosofia pela FAFI de Ijuí (1961). Estudou Teologia no Convento São Lourenço de Bríndisi, em Porto Alegre (1962 a 1966), tendo sido ordenado sacerdote em 18 de dezembro de 1965. Era sobrinho do irmão capuchinho Fr. Fortunato Macagnan, falecido em 1967.

De 1966 a 1989 viveu e atuou em Porto Alegre, como membro da Fraternidade São Lourenço e, nos últimos cinco anos, com residência na Casa Divino Mestre. Começou atuando na programação religiosa da Rádio Difusora Porto Alegrense e depois, também da TV Difusora; integrou a direção da Rádio e TV Difusora (de 1977 até a transferência para a TV Bandeirantes); coordenou as atividades do Centro de Produção e Edições (CPE). Em vários períodos integrou diretorias da Associação Gaúcha de Rádio e TV (Agert) e do Sindirádio de Porto Alegre, merecedor de diversas homenagens do setor da radiodifusão.

Em Caxias do Sul integrou o Conselho Municipal de Assistência Social de 2008 a 2011, representando a LEFAN, e foi homenageado pela Associação Riograndense de Imprensa (ARI-Serra Gaúcha) e pela ADCE-Serra.

Bacharel em Comunicação Social pela Famecos-PUC-RS, também foi professor e participou de vários congressos na área da imprensa católica no país e no exterior. Na área artística, integrou o coral “Assim Cantam os Capuchinhos”, de 1954 a 1964.

Em Caxias do Sul atuou na redação do Correio Riograndense e assessorou o setor de rádios ligadas às fundações dirigidas por integrantes da Província dos Capuchinhos do RS. Celebrou 50 anos de sacerdócio em 2015, recebendo, também, o título de cidadão emérito de Marques de Souza (RS).

‍Autor: Assessoria de Mídias do RS

Fonte: Capuchinhos.org.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui