Frades estudantes de Rondinha fazem experiência eremítica e voltam às visitas aos hospitais

56

Do dia 17 a 26 de julho de 2020, os frades estudantes da Fraternidade São Boaventura de Rondinha – Frei Daniel Carlos, Frei Franklin Matheus, Frei Jeronimo Cheia, Frei Lucas Moreira, Frei Roberto Rocha, Frei Sérgio Hide, o mestre Frei Samuel Ferreira de Lima e o sr. Antônio Evêncio de Carvalho, benfeitor e ministro da Eucaristia do Convento Bom Jesus dos Perdões de Curitiba -, dirigiram-se ao Eremitério Frei Egídio, no alto do monte em Rodeio (SC). A ideia surgiu após os transtornos decorridos da pandemia da Covid-19, impossibilitando os frades estudantes de realizassem o mês de estágio pastoral nas Fraternidades da Província, um período considerado, nos âmbitos acadêmicos, de recesso, uma transição de semestres.

“Passamos uma excelente semana de oração, convivência e trabalho. As horas canônicas ditaram o decurso do tempo. A manhã foi dedicada à oração e à meditação e a tarde aos trabalhos manuais. A missa celebrada, a hora de Vésperas coroaram o labor e as meditações espirituais. Pudemos, nesses dias, fazer alguns trabalhos de manutenção predial, limpeza da estrada de acesso e das trilhas. No sábado, dia 25, celebramos a festa de São Tiago Maior, apóstolo, no cume do monte; batizamos, entre nós, o nome do lugar de “Clareira de São Tiago”, com a Celebração Eucarística e a oração do terço. Na manhã, do dia 26, fomos ao Noviciado são José, onde almoçamos e retornamos para Casa”, explicou Frei Lucas Moreira.

Visitas aos hospitais

Em algumas oportunidades, os frades que fazem Pastorais nos hospitais puderam, com todo o cuidado necessário, devidamente protegidos e seguindo as orientações, retornar às visitas aos nossos irmãos enfermos. Com as severas restrições, abriu-se o horizonte para a musicoterapia, onde os confrades perpassam todos os corredores e dependências dos hospitais tocando e cantando músicas religiosas para louvar e bendizer a Deus todo-poderoso. Isso traz leveza e esperança para todos os que estão nos hospitais e seus familiares. Estão sendo realizados também aconselhamentos e diálogos com os profissionais da saúde, de forma on-line e por telefone.

Alguns frades também fizeram uma experiência fraterna na Fraternidade Bom Jesus dos Perdões de Curitiba. “Ajudamos em algumas poucas atividades da casa, mas a vida fraterna é a maior forma de pastoral nesses dias. Aprendemos muito e temos certeza de que sairemos melhores do que entramos nesse período de vivência. Ajudamos também na arrumação da alimentação das pessoas em situação de rua”, adiantaram Frei Guilherme Plotegher e Frei Josiélio Oliveira.

Visitas aos hospitais

Em algumas oportunidades, os frades que fazem Pastorais nos hospitais puderam, com todo o cuidado necessário, devidamente protegidos e seguindo as orientações, retornar às visitas aos nossos irmãos enfermos. Com as severas restrições, abriu-se o horizonte para a musicoterapia, onde os confrades perpassam todos os corredores e dependências dos hospitais tocando e cantando músicas religiosas para louvar e bendizer a Deus todo-poderoso. Isso traz leveza e esperança para todos os que estão nos hospitais e seus familiares. Estão sendo realizados também aconselhamentos e diálogos com os profissionais da saúde, de forma on-line e por telefone.

Alguns frades também fizeram uma experiência fraterna na Fraternidade Bom Jesus dos Perdões de Curitiba. “Ajudamos em algumas poucas atividades da casa, mas a vida fraterna é a maior forma de pastoral nesses dias. Aprendemos muito e temos certeza de que sairemos melhores do que entramos nesse período de vivência. Ajudamos também na arrumação da alimentação das pessoas em situação de rua”, adiantaram Frei Guilherme Plotegher e Frei Josiélio Oliveira.

Pequenos Reparos e manutenções no Convento

Enquanto parte dos confrades encontravam-se no Eremitério Frei Egídio e em Curitiba, a rotina na Fraternidade São Boaventura (PR) sofreu poucas alterações. “Os trabalhos assumidos durante estes dias, estenderam-se mais a manutenção de algumas ferragens da casa, bastantes deterioradas pelo clima. Estas tiveram sua pintura completamente refeita, desde a raspagem do antigo revestimento até a finalização da nova pintura. Como o inverno não se mostrou rigoroso este ano, vivemos ainda um certo clima de verão-outono, também nos dedicamos à limpeza dos jardins”, contou Frei Bruno Cezário.

Frades estudantes de Rondinha

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui