Franciscanos levam informações de prevenção para moradores de rua

127

Cartaz Covid-19

O serviço de Justiça, Paz e Integridade da Criação (JPIC), da Ordem Franciscana Secular (OFS) e a Pastoral do Povo da Rua da Região Pastoral São João de Meriti, da Diocese de Duque de Caxias, estão distribuindo panfletos e cartazes com orientações para a população em situação de rua para ajudar a prevenir a Covid-2019, causada pelo novo coronavírus.

A iniciativa visa ajudar na prevenção e tirar da invisibilidade grupos que vivem em extrema situação de vulnerabilidade social, mais propensos ao contágio e disseminação do vírus pela grande exposição, e que muitas vezes não recebem do poder público qualquer atenção. O texto do material conta com o suporte técnico de médicos, enfermeiros e de outros voluntários que atendem a essas pessoas.

Os panfletos e cartazes serão distribuídos e afixados em locais onde os moradores de rua costumam frequentar ou se reunir para buscar alimentos. Entre as orientações, que são complementadas com cuidados básicos de higiene e de prevenção como lavar bem as mãos, evitar aglomerações, não compartilhar itens de uso pessoal, evitar cumprimentos e abraçar outras pessoas e colocar o braço sobre a boca ao tossir.

O material também orienta sobre os sintomas e a buscar os serviços públicos de saúde e de assistência social do município, e, no caso de recusa, procurar a Defensoria Pública Estadual.

Segundo Cláudio Santos, agente da pastoral e coordenador de JPIC da Fraternidade Santo Antônio de Duque de Caxias, a proposta da iniciativa é levar informações simples, objetivas e de qualidade para uma população negligenciada pelas políticas públicas, marcada pela violação de direitos e com acesso limitado à informação:

“Durante a quarentena, com o isolamento social e as restrições impostas pelo governo estadual e também pelas prefeituras à abertura do comércio, o acesso às doações de refeições diminui bastante. Muitos projetos estão com dificuldades para se organizar em virtude das recomendações sanitárias e produzimos esse material para que os moradores de rua recebam informações simples, objetivas e de qualidade para quem mais precisa. Informação também é solidariedade” – declarou.

De acordo com Cláudio Santos, não basta apenas distribuir panfletos e cartazes ou realizar ações pontuais com essas pessoas, mas cobrar que seja oferecido a elas um espaço de acolhimento adequado com dormitórios, local para higienização pessoal e refeições, além de atendimento social e de profissionais da saúde:

“Para garantir que essa população tenha acesso às políticas públicas e o acolhimento aconteça, é necessário, a participação de todos, exigindo que essas pessoas sejam respeitadas contra qualquer forma de violação de direitos.” – afirmou.

O material está disponível para todo o país, com download em formato pdf, em anexo.

Fonte: Ordem Franciscana do Brasil – OFS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui