Frei Gilberto da Silva é o novo doutor da Ordem Franciscana

150

No ano de 2015, o nosso confrade Frei Gilberto da Silva, acolheu a obediência de continuar a sua formação teológica no nosso centro universitário em Roma, na Pontifícia Universidade Antonianum. Inicialmente, para obter a “Licença” em Teologia com especialização em Espiritualidade Franciscana. Obtido este grau, com a anuência do Definitório Provincial, ele seguiu os estudos para obter o doutorado. Assim chegamos ao ano de 2022 e, neste dia 18 de janeiro, ele defendeu a sua tese, fruto de muitas e profundas pesquisas.

Normalmente, as teses de doutorado são defendidas na ampla e bela aula de Santo Antônio para dar possibilidade a muitos de poderem participar. Infelizmente, a ainda reinante pandemia da Covid 19 impôs muitas restrições e, assim, a ¨defesa” aconteceu na aula A, de tamanho menor. Ao menos alguns confrades, entre eles o Ministro Geral, o provincial da Província São Boaventura com sede em Roma, Frei César Külkamp, Frei Fábio Cesar Gomes, Frei José Antônio dos Santos, Frei Estêvão Ottenbreit e Dom Jaime Spengler, representando a Província da “Imaculada”, puderam estar presentes além de alguns amigos do novo doutor. Felizmente, muitos outros puderam “estar presentes” acompanhando o acontecimento via Internet. Sabemos que foram muitos porque eles tiveram que ser autorizados anteriormente. Eram pessoas ligadas ao Frei Gilberto e também ao nome de Frei Constantino Koser, cuja reflexão foi objeto da tese defendida.

A defesa de uma tese de doutorado segue normalmente um certo ritual. Assim também foi no dia 18 de janeiro, às 18h. O secretário da Universidade acolheu os presentes e deu uma breve introdução ao ato do doutorado. Em seguida, Frei Gilberto, o doutorando, rezou a oração de São Francisco diante da cruz: “Alto e glorioso Deus” na qual, certamente, culminaram todos estes anos de estudo, de pesquisa, de reflexão, longe da terra natal, longe da família e da Província Franciscana da “Imaculada” e continuou a pedir: “Fé reta, esperança certa e caridade perfeita.”

Na presença do moderador da tese, Frei Giuseppe Buffon, decano da faculdade de Teologia e professor de História do Franciscanismo moderno e contemporâneo, e da Irmã Chiara Codazzi, professora da PUA e de Frei Sandro Roberto da Costa, reitor e professor do ITF em Petrópolis (este conectado via Internet) que acompanharam o doutorando na elaboração da tese, Frei Gilberto apresentou um resumo do resultado final de seu estudo com o título: “FREI CONSTANTINO KOSER E O INÍCIO DO AGGIORNAMENTO CONCILIAR NA ORDEM DOS FRADES MENORES: UM CAMINHO A SER DESCOBERTO. UM ESTUDO INTRODUTÓRIO ÀS MEDITAÇÕES, COM A EDIÇÃO DO ANO DE 1967.

Em outras palavras: Trata-se da experiência espiritual de Frei Constantino Koser no período pós-conciliar, tempo de renovamento teológico e estrutural da Igreja e também da Ordem dos Frades Menores. A dissertação abrange os anos 1956 até 2000.

Frei Gilberto apresentou o “Status quaestionis”.

Para enfrentar os desafios do período pós-conciliar, o autor se empenhou em intensificar o seu “caminhar com Deus” no dia a dia, resultando em “Meditações” que ele fielmente, durante anos, escreveu diariamente com a sua máquina de escrever. A riqueza da sua reflexão se encontra nesta coleta de sua experiência espiritual como cristão, mestre, teólogo, ministro geral, renomado conferencista e, principalmente, frade menor.

Em seguida falou da “Motivação”.

Nos primeiros anos de seu estudo, Frei Gilberto volta e meia ouviu referências ao frei Constantino Koser. Como ele é da mesma Província, embora não conhecesse Frei Constantino em vida, despertou para a possibilidade de resgatar com uma tese doutoral a reflexão e contribuição daquele que alguns chamam de “refundador da Ordem” e “um segundo São Boaventura” e até “um Duns Scoto latino-americano”.

Depois discorreu sobre a “Estrutura da tese”.

Trata-se de apresentar um estudo introdutório para as “Meditações” de 1967, portando uma análise dos acontecimentos que constituíram o processo do aggiornamento e as primeiras diretrizes para a renovação da Ordem dos Frades Menores. Depois de apresentar notas biográficas, a tese se desdobra em três capítulos e uma bibliografia final, um apêndice com documentos e fotografias, encontrados no arquivo do Frei Constantino ou recolhidos na “Acta Ordinis”.

Deu continuidade, falando dos “capítulos” da tese.

O primeiro capítulo oferece uma introdução geral às “Meditações” escritas entre 1956 e 2000 (ambientação histórica, contexto eclesial, gênero literário, etc.). O segundo capítulo reflete o estudo das “Meditações” elaboradas em 1967, ano do capítulo geral extra-ordinário, celebrado em Assis, que ajuda a compreender o período delicado quando a Ordem dos Frades Menores começa a rever a sua “forma de vida”. O terceiro capítulo examina o generalato de Fr. Constantino conforme ele mesmo descreveu nas “Meditações”. Trata-se principalmente da pergunta pela identidade do frade menor. Concluindo esta parte, o novo doutor destacou a figura de Frei Constantino como protagonista da história da Ordem dos frades menores no período pós-conciliar.

Frei Gilberto dissertou ainda sobre algumas questões pontuais: o método usado por Frei Constantino, o ministro geral da renovação conciliar e perspectivas para uma pesquisa posterior. Enfim, agradeceu toda a ajuda recebida ao longo destes anos de estudo, mencionando principalmente a sua\nossa Provincia da Imaculada Conceição e a algumas pessoas em particular.

Em seguida os moderadores se recolheram numa sala para julgar o trabalho realizado por nosso confrade. Ao retorno na aula, o secretário da Pontifícia Universidade Antonianum anunciou o resultado, a aprovação da tese doutoral e com isso inserindo Frei Gilberto no elenco dos doutores em teologia pela PUA. Com alegria este anúncio foi acolhido pelo novo doutor e com uma longa salva de palmas da plateia presente. O novo doutor convidou então todos os presentes para um “refresco” preparado no corredor da Universidade.

Ao novo doutor da Província os nossos parabéns e agradecimento pelo estudo e trabalho realizado, consolidando certamente a importância e os méritos da contribuição deste grande confrade da nossa Província, Frei Constantino Koser. Ao Frei Gilberto, que retornará brevemente ao Brasil, desejamos um serviço fecundo, seja como professor, seja como vice-mestre. Deus seja louvado!

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui