Missionária da AFA é uma das homenageadas com o Prêmio Personalidade de Direitos Humanos

58

Ela nasceu em Cornélio Procópio, interior do Paraná, em 1957, com o destino já traçado, presumia-se, para dar continuidade à atividade iniciada pelos seus avós, que vieram do Japão: a agricultura

.

Porém, uma inclinação muito mais forte a desviou desse caminho: sua vocação de assumir uma missão na vida religiosa como missionária.

Assim, em 1979, Idalina Barbosa cruzou os portões da Congregação das Irmãs Franciscanas Estigmatinas, de São Carlos (SP). Desde então, até os dias atuais, vem semeando, como irmã, o que sempre acreditou: amor, desprendimento e dedicação por onde passou (cidades do interior de São Paulo, Bahia, Itália, Espanha e Albânia).

Mas foi em Foz do Iguaçu que irmã Idalina dedicou a maior parte de sua vida.

Começou a trabalhar na Pastoral da Criança, do Bairro do Porto Meira, em 1997, onde conviveu com as dificuldades das famílias que viviam na região e trabalhou para atenuar o sofrimento delas.

Enfrentando essas dificuldades, conheceu o icônico Padre Arturo, que a convidou para dirigir a Associação Fraternidade Aliança (AFA), criada especialmente por ele para atender as necessidades das famílias da região.

Desde então, se passaram 25 anos: padre Arturo faleceu, mas a AFA cresceu e ganhou o reconhecimento de grande parte da população do município, sob a batuta da irmã Idalina e outras colaboradoras.

Porém, o gratificante de acompanhar em toda essa história é que, na próxima sexta-feira (09), a irmã Idalina ganhará mais um alento (talvez, nunca imaginado por ela) para continuar semeando o bem e os valores que sempre acreditou: será homenageada com o Prêmio Personalidade de Direitos Humanos de Foz do Iguaçu, na Câmara de Vereadoras, ao lado de outras personalidades merecedoras dessa honraria.

Fonte: naoviu.com.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui