O Papa com os pobres em Assis. Frades Menores: sinal concreto de fraternidade

417

Há uma grande alegria em Assis pela visita do Papa Francisco à Porciúncula em 12 de novembro. “Estamos muito felizes”, disse o ministro provincial dos Frades Menores da Úmbria e Sardenha, frei Francesco Piloni, que sublinhou “o desejo do Papa Francisco de evidenciar nesta etapa o encontro com seus irmãos pobres”. Esta visita será “sob o signo da simplicidade”, acrescentou o religioso, lembrando o caráter privado do encontro organizado pelo Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, guiado por dom Rino Fisichella.

A “relação” no centro do dia

O franciscano confidenciou que da inspeção realizada nos últimos dias na Basílica de Santa Maria dos Anjos emergiu a vontade de traduzir “com rapidez e eficiência” o desejo do Papa num evento essencial. “No centro, está a relação com cada pessoa, lembrada também pela atenção às pequenas coisas e em particular por um pequeno presente que será dado aos irmãos pobres como sinal de conhecimento, cuidado e preocupação”.

Os detalhes oficiais ainda são escassos, mas o frei Piloni refletiu sobre o tema da fraternidade evocado desde o início pela escolha do Papa Francisco. “Ninguém é tão rico que não precise do outro e ninguém é tão pobre que não tenha nada para dar”. Uma mensagem que diz respeito a cada um de nós a propósito da urgência de recuperar a autenticidade das relações. “Se não agarrarmos este desejo de Deus de fraternidade e laços profundos e verdadeiros, correremos o risco de entrar cada vez mais naquelas estruturas de pecado que se chamam egoísmo e individualismo: acredito que este seja o vírus mais terrível hoje”.

O valor dos “pequenos” e dos “pobres”

Para o frei Piloni, o Papa Francisco tem no coração a espiritualidade do Santo de Assis e, especificamente, uma passagem do capítulo nove da Regra. “Os frades devem ficar felizes quando vivem entre pessoas de pouca importância e desprezadas”. Mas, não é só ficar feliz de caminhar junto com os mais necessitados, única razão do significado desta visita. Para a família dos Frades menores também existe a singularidade da Porciúncula que lembra o Evangelho vivido até os confins da terra.

Lembremo-nos de outubro de 2013, quando o Papa Francisco foi pela primeira vez a Assis e, saindo da Basílica de Santa Maria dos Anjos, disse à multidão que tinha ouvido apenas uma palavra durante a oração na Porciúncula: “Evangelho, Evangelho, Evangelho!”. “Tudo isso ficará ainda mais impresso depois da próxima visita porque um dos conteúdos fortes do Evangelho é justamente a dimensão dos pequenos, dos pobres, de quem acredita não ser ninguém, de quem faz da própria vida uma possibilidade de encontro”.

Fonte: Vatican News

2 COMENTÁRIOS

  1. Vale ressaltar que entre nós, na Ordem dos Frades Menores, todos somos frades, portanto, irmãos (alguns, irmãos leigos; outros, irmãos presbíteros. Mas todos irmãos!). E como irmão menor cada frade é chamado de “Frei”. Me estranhou o texto referir-se ao Provincial dos Frades Menores da Úmbria como “Padre Francesco Piloni”, e não como “Frei Francesco Piloni”.
    Devemos evitar na Igreja e, particularmente entre nós, Família Franciscana, certos termos que infelizmente ainda denotam a presença de um clericalismo em nosso meio.

    • Paz e Bem, frei Wellington Buarque.
      O Serviço de Comunicação agradece seu comentário.
      O texto da notícia foi atualizado conforme suas orientações, substituímos “Padre” por “Frei”.
      Fraterno abraço.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui