Paróquia do Pari celebra 108 anos na Festa da Apresentação do Senhor

135

A Paróquia Santo Antônio do Pari celebrou nesta quarta-feira, 2 de fevereiro, 108 anos de sua criação. A Santa Missa na Festa da Apresentação do Senhor e no dia da Vida Consagrada, teve como presidente o pároco Frei Wilson Batista Simão e como con-celebrante Frei Anacleto Gapski.

O povo foi convidado entrar em procissão na Igreja com a vela abençoada e acesa. “A vela que levamos em nossas mãos lembra a vela do nosso batismo”, lembrou o celebrante, citando o piedoso ancião Simeão, que profetiza o papel messiânico de Jesus, atribuindo-Lhe os títulos “luz das nações” e “glória de Israel”. Essa referência à luz fez surgir na Igreja o costume de benzer as velas.

“É o Cristo que ilumina todas as trevas, toda a escuridão do nosso coração. É a esperança da libertação de Israel na profecia de Ana. Por esta razão, abençoar as velas é símbolo do compromisso de sempre andar na luz. Com essas mesmas velas que abençoamos no início desta Celebração Eucarística, amanhã iremos pedir a proteção, a intercessão de São Brás, protetor contra os males da garganta. E pedimos também no dia de hoje a luz do Espírito Santo, como fez Simeão e Ana e tantos outros profetas”, lembrou o celebrante.

“Na festa de hoje queremos também olhar com gratidão para a caminhada de nossa Paróquia, que celebra 108 anos de história. Foi o primeiro pároco, Frei José Rolim, que veio de Portugal por causa da guerra, que trouxe a devoção de Santo Antônio para este bairro. Segundo os anais da história, na carência de igreja ou capela apropriada, Frei José alugou uma sala de um sobrado, que hoje faz esquina da rua Miller com a rua Maria Marcolina”, recordou Frei Wilson.

“Ele foi um frade muito dedicado, incansável, apaixonado por Santo Antônio, que chamou a atenção do conhecido Arthur Vautier, dono de grandes terrenos no nosso bairro do Pari. Vendo a dedicação e o empenho deste frade, ele doou um terreno para a construção da igreja do Pari. E Frei Rolim começou a construção da Paróquia”, explicou o pároco.

A partir desse momento foi lançada a semente que gerou muitos frutos em mais de 100 anos. “O bairro passou por grandes mudanças neste centenário, mas a Igreja do Pari continua sendo o referencial deste lugar”, observou.

“Em 2014, no dia 2 de fevereiro, acolhemos a Comunidade Boliviana, onde introduzimos a imagem de Nossa Senhora Copacabana em um dos altares laterais. Vamos pedir a intercessão de Maria, para que ela interceda a Deus por esta comunidade e por cada um de nós que celebramos e vivenciamos a Boa Nova do Reino de Deus. Que Jesus manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao Vosso!”, pediu.

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui