Partilha das Postulantes

492

“Cada um se transforma e se modifica, na medida em que se transforma e modifica o conjunto de suas relações sociais”. Pe. João Batista Libânio

Nos dias 14 a 18 de fevereiro de 2022, no Recanto Terra Mãe, em Fatima de São Lourenço–MT, as sete postulantes, se reuniram novamente para uma semana de formação, orientada pela Irmã Anita David, com o tema – FORMAÇÃO DA CONSCIÊNCIA CRÍTICA – método – “Ver, Julgar, Agir”

Somos as seguintes Postulantes: Cleidiane Piloto Evangelista, Jordânia de Oliveira Azevedo, Kaylaine Micaelle de Oliveira, Leandra Evely Oliveira de Oliveira, Leila Freitas Aguiar, Maísa Rocha Soares, Patrícia Costa Cardoso e as acompanhantes Irmã Claudia Alves do Nascimento e Irmã Isabel Pereira da Silva.

O tema que refletimos durante esses cinco dias foi sobre a Formação da Consciência Crítica, baseado no livro com o mesmo título, do Pe. João Batista Libânio SJ. Foi uma oportunidade de fazermos um aprofundamento e uma tomada de consciência sobre a nossa realidade pessoal e a realidade em que estamos mergulhadas.

A nossa formação iniciou no ventre materno e, ao longo dos dias e anos, pela maneira como fomos sendo criadas e educadas em nossa infância e adolescência através da família, da escola, da igreja, dos Meios de Comunicações Sociais e da sociedade. Esses agentes externos moldaram o nosso caráter e a personalidade.

Teremos consciência crítica na medida em que percebermos a influência que essas instâncias exerceram e exercem sobre o nosso modo de pensar e agir. Do contrário, se não buscarmos aprofundamento para perceber e ter clareza das coisas, teremos apenas uma consciência ingênua que não inclui a compreensão das condições que determinam o nosso modo de pensar e agir e seremos apenas repetidoras “de um estado de coisas”.

Nosso esquema mental é revelado através do que falamos, das nossas atitudes e comportamentos. Ele é dividido em três momentos que querem esquematizar, de modo estrutural e didático, os elementos principais que constituem a maneira de pensar e agir. Assim, existe a mentalidade Fixista, Objetivista, Estática (1º momento – Objeto); a mentalidade Subjetivista, Evolucionista, Dinâmica (2º momento – Sujeito) e a mentalidade Social Dialética (3º momento – Social). Cada momento se conecta e se expressa em quatro relações fundamentais: consigo mesmo, com os outros, com a natureza e com Deus.

O objeto assume o sentido de “coisa em si”, cuja existência é independente do conhecimento que os sujeitos pensantes têm dele. O sujeito desempenha o papel decisivo no ato de compreender e dar significado ao objeto. Por exemplo: o lixo nas ruas (objeto) exerce uma ação condicionante e marcante sobre o sujeito, provocando nele uma internalização de tal realidade que acaba jogando lixo também. Se a pessoa toma consciência dessa influência negativa (sujeito) ele a exterioriza e modifica-a, passando a conscientizar as outras pessoas e até convocando voluntários para cuidar do meio ambiente (social).

Por isso que na sociedade em que vivemos temos que ter uma mente aberta para observar a realidade com Consciência Crítica, busca o sempre mais “estar por dentro” do contexto Econômico, Cultural, Religioso e Político e descobrir o que está por traz, quais as verdadeiras intenções de tais decisões e ações, para transformarmos nossas ideias e pensamentos em atos concretos que gerem mudança.

Pelas postulantes: Leandra Evely Oliveira e Cleidiane Piloto Evangelista

Fonte: CICAF

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui