Religiosas dedicam suas vidas em missões

269

No último domingo, 22, a Igreja do mundo celebrou o Dia Mundial das Missões. A data, que já está na 91ª edição, foi criada em 1926, pelo Papa Pio XI, que ficou conhecido como “Papa missionário”. Desde então, esse dia é tradicionalmente celebrado no penúltimo domingo do mês de outubro.

Seguir e fazer uma vida missionária requer muita dedicação e vontade. Se entregar para a vida religiosa consagrada em missão é estar pronto para qualquer desafio recebido. As Irmãs Missionárias Capuchinhas, há 07 anos chegaram à cidade de Itapuã (DF) com esse propósito.

Sendo presença missionária junto às mulheres da comunidade, colaborando na formação de adolescentes e jovens, e realizando visitas as famílias na escuta e na partilha, com o apoio da fraternidade.

Irmã Necilene Ferreira da Silva, IMC, deixou a cidade de Trindade (GO), para se dedicar a cidade que a acolheu. “Vida missionária para mim é estar sempre pronto para seguir em missão”, ressaltou.

Irmã Necilene colabora na formação das catequistas e coroinhas da Paróquia local São Luís Orione, e ainda prestas serviços a Conferência da Família Franciscana do Brasil (CFFB), SEDE.

Os missionários são o exemplo de como é importante se desapegar dos bens materiais, para se entregar à verdadeira missão. Para Irmã Maria de Lurdes da Silva, IMC, que saiu de Lagoa dos Gatos (PE) cita, “hoje estou aqui, amanhã, Deus pode me convidar para outro lugar, outra missão”.

Irmã Maria de Lurdes acompanha como irmã, um grupo de mulheres artesã da comunidade como forma de terapia grupal.

De forma, que essas mulheres diminuem e muitas até acabam com seus stress, e num bate papo são orientadas de forma positiva e religiosa como vencer os obstáculos e problemas do dia-a-dia.

Outro exemplo de vida missionaria é a Irmã Speciosa Rebouças de Melo, IMC, que veio de Campos Lindos (TO), contou como está sendo a experiência de fé e aprendizado na fraternidade. “Nós passamos por um período formativo na vida missionária. Este período nos prepara para que sejamos desapegadas, para que não nos apeguemos com o lugar, com as coisas, as pessoas de onde estamos. Isso faz uma diferença muito grande na nossa vida.”, ressaltou Irmã Speciosa.

Todos os cristãos, batizados, são missionários, que precisa evangelizar seja com as suas vidas, com as suas famílias, seja a partir da atuação missionária nas nossas comunidades ou em qualquer lugar onde eles religiosos estejam.

No Vaticano o Santo Padre divulgou a Mensagem para o Dia Mundial das Missões, celebrado no mês de outubro, intitulada “A missão no coração da fé cristã”.

 

EIS A MENSAGEM

“Queridos irmãos e irmãs!

O Dia Mundial das Missões concentra-nos, também este ano, na pessoa de Jesus, «o primeiro e maior evangelizador» (Paulo VI, Exort. ap. Evangelii nuntiandi, 7), que incessantemente nos envia a anunciar o Evangelho do amor de Deus Pai, com a força do Espírito Santo. Este Dia convida-nos a refletir novamente sobre a missão no coração da fé cristã. De fato a Igreja é, por sua natureza, missionária; se assim não for, deixa de ser a Igreja de Cristo, não passando duma associação entre muitas outras, que rapidamente veria exaurir-se a sua finalidade e desapareceria. Por isso, somos convidados a interrogar-nos sobre algumas questões que tocam a própria identidade cristã e as nossas responsabilidades de crentes, num mundo com tantas quimeras, ferido por grandes frustrações e dilacerado por numerosas guerras fratricidas, que injustamente atingem, sobretudo os inocentes. Qual é o fundamento da missão? Qual é o coração da missão? Quais são as atitudes vitais da missão?

 

Por Eduardo Galizi Canuto.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui