Comunidade Kolping comemora aniversário de 27 anos em São Gabriel do Oeste

100
Hoje são 250 atendidos diariamente pela Comunidade Kolping em parceria com a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Assistência Social.

04/06/2022 às 10:38 do Idest, Letícia dos Santos
(Divulgação Kolping)

A Comunidade Kolping São Francisco de Assis, em São Gabriel do Oeste, comemorou nesta sexta-feira (03), aniverário de 27 anos. Em comemoração, durante o dia foi contada a história da comunidade aos alunos, cantado os parabéns e servido um lanche. No período da noite houve uma missa e confraternização entre servidores e associados.

“27º aniversário da Comunidade Kolping São Francisco de Assis, há 12 anos que esta entidade faz parte da minha vida, trabalho que me preenche pelo ideal do movimento que é família, religião, trabalho, sociedade e recreação. Além do trabalho prestado ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, com atendimento de 250 crianças, adolescentes e jovens de 6 a 17 anos, temos o atendimento no Centro Educacional Infantil Sonho Meu de 160 crianças de zero a 4 anos, executado através das parcerias com a Prefeitura Municipal pelas Secretarias de Assistência Social e Secretaria de Educação”, comentou a coordenadora da entidade Marleida Ana S. Strada.

A Obra Kolping do Brasil chegou ao Norte de Mato Grosso do Sul em meados de maio de 1989, quando o noviço católico Sérgio Wanderly Silva, deixa o noviciado da Ordem dos Frades Menores de Rodeio – Santa Catarina, e vem a São Gabriel do Oeste fazer uma experiência de vida como seminarista secular. No dia 22 de setembro de 1991, foi fundada a Comunidade Kolping Dom Clóvis Frainer, com a chegada de Sérgio Wanderly, de Carapicuíba – São Paulo, reforçado posteriormente pela dinâmica e competente presença da leiga consagrada, Dorothéa Ana Maria Hoffmann, de Geislingen/Alemanha.

“Pra mim comemorar e participar do 27º aniversário da Comunidade Kolping São Francisco de Assis em São Gabriel do Oeste é um privilégio, pois, aqui passaram muitas pessoas abençoadas e iluminadas que doaram e se doaram, pessoas que creram com as mãos e o coração para a construção de uma grande história”, comentou a presidente da entidade, Marilei Ribas Effgen.

Sempre surgia no horizonte do papel a ser desempenhado pela Kolping, em São Gabriel do Oeste, o sonho de um projeto que atendesse a maior necessidade da população empobrecida: a moradia. Depois de muitos estudos e projeções entre o presidente da Comunidade Kolping, Sérgio Wanderly, Dorothéa Anna Maria Hoffmann e Aldino Sangalli, surge o projeto Cooperhaus São Gabriel do Oeste, com o objetivo de construir, em sistema de mutirão, 40 casas populares. Grandes parceiros desta obra de solidariedade da Kolping foram Balduino Mafissoni, que doou a área de terras, sendo promovida a divisão necessária ao atendimento do projeto de construção das casas, bem como área para a sede social da Comunidade Kolping, no bairro Amabile Mafissoni e Félix Sorgatto – prefeito de São Gabriel do Oeste no período de 1992-1995, que deu todo suporte necessário com aterro, saneamento e eletrificação.

Nessa época chegou-se a conclusão que poderia ser instituída uma nova Comunidade Kolping nas proximidades do local das casas, com o nome de Comunidade Kolping São Francisco de Assis, nome este escolhido pelos próprios partícipes do projeto.

Atualmente a Comunidade Kolping atende de segunda a sexta-feira, crianças, adolescentes e jovens de 06 a 17 anos, em jornada ampliada da escola, com o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, trabalhando os vínculos familiares e sociais, uma educação social, através de oficinas de artesanato, música, dança, inglês, teatro, informática dentre outros. Hoje são 250 atendidos diariamente pela Comunidade Kolping em parceria com a Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Assistência Social.

“As ações diárias com o atendimento do Serviço, falo em nome da equipe é recompensador poder ver o sorriso no rosto dos envolvidos, a alegria de estar no Serviço/projetos diários desenvolvido com os atendidos. É satisfatório ver a credibilidade que a entidade tem perante a sociedade e é gratificante poder contar com colaboradores voluntários, doações que somam no dia a dia em todos os sentidos. Me identifico com a entidade pela vivência em comunidade, somos uma família que nos reunimos para momentos de convivência, para eventos e ações em benefício da comunidade. O aniversário é da Entidade, o presente é nosso que temos a alegria de conhecer, viver e fazer parte deste movimento”, comentou Marleida.

A atual presidente, Marilei conta que em 2016 fui convidada por Carlinhos Colussi e apresentada para Marleida Strada para conhecer a entidade. “Conhecendo me senti encantada pela obra, pela missão e pelos pilares ali aplicados, logo em seguida me coloquei à disposição de ser voluntária na iniciação do Inglês básico com a crianças atendidas, sendo que os jovens já tinham inglês conversação com o padre Fabrício Pinheiro. Em seguida eu e meu esposo Norberto Effgen fomos convidados para sermos associados. A família Kolping nos acolheu com muita fé, amor e carinho”, comentou.

O Movimento Kolping possui cinco pilares, atua: a fé cristã católica vivida, Religião, Trabalho, Recreação, Família e Sociedade, a prática permanente no trabalho e a alegria da recreação são fatores indispensáveis para a construção de uma família. E famílias melhores resultarão numa sociedade melhor.

Outra importante ação desenvolvida pelos voluntários da Comunidade Kolping é a Terapia da Alegria. “Fui convidada pelo senhor Antonio Padilha para participar da Terapia da Alegria, visitar e levar alegria para os doentes no Hospital Municipal, foi uma benção. Ser voluntária e participar da diretoria como presidente da Entidade, fui apresentada a grandes desafios, os quais tem sido de um grande crescimento pessoal e espiritual em minha caminhada e missão. Que sejamos hoje e sempre agraciados pelos dons do Espírito Santo e a coragem e persistência de Adolfo Kolping e que sigamos seus pilares que são: Religião”, comentou Marilei.

“Estar com as crianças, adolescentes, jovens, parceiros, colaboradores e associados observando e vivenciando o dia a dia de cada um, os nossos problemas e preocupações pessoais tornaram-se minúsculos. Participar de cada momento estamos contribuindo para uma sociedade melhor, vivemos em comunidade e fortalecemos nossa fé em nosso Deus”, finalizou Marilei Ribas Effgen.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui