Dom Rubens acolhe a Fraternidade do Seminário Santo Antônio de Agudos

392

Na manhã do dia 03/04, a Fraternidade do Seminário Santo Antônio de Agudos foi apresentada à comunidade local pelo bispo da Diocese de Bauru, Dom Rubens Sevilha, também religioso, da Ordem dos Carmelitas Descalços.

Composta por dez religiosos, a Fraternidade se colocou, nesta celebração, à disposição do povo de Deus, da Diocese de Bauru e da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil. Na disposição de servidores e menores do Reino, a Fraternidade abraça a missão de evangelizar e comunicar o carisma de São Francisco de Assis no lugar onde se encontram.

A casa se encheu para esse momento, estiveram presentes na Eucaristia a Família Franciscana do Brasil, que se encontra em retiro de revigoramento nessa Fraternidade, a Ordem Franciscana Secular, que colaborou com a animação da celebração, os leigos que participaram do 5º encontro dos homens católicos e aqueles que semanalmente frequentam as celebrações no Seminário.

Frei Ademir Sanquetti, guardião da Fraternidade, ao fim da celebração agradeceu a presença de Dom Rubens Sevilha e reforçou que a intenção da celebração é dizer que a Fraternidade do Seminário não é uma ilha, não vive para si, mas está a serviço da comunidade local, da Diocese e da Província.

A Fraternidade hoje é composta por Frei Ademir Sanquetti, guardião, Frei André Gurzinski, Frei Carlos Branco Araújo, Frei Dionísio Morás, Frei Gilberto Silveira da Costa Junior, Frei João Antunes Filho, popularmente chamado Frei Rafa, Frei Ladí Antoniazzi, Frei Osmar Dalazen, Frei Sílvio Trindade Werlingue e Frei Valdevino Negherbon.

No Espelho da Perfeição, sobre a vida de São Francisco, encontra-se um breve trecho em que o santo é chamado a descrever o frade perfeito, eis a resposta: “Seria um bom frade menor o que reunisse em si a vida e os méritos destes santos frades: ‘A fé de Frei Bernardo, a pureza de Frei Ângelo, a distinção e o bom senso natural de Frei Masseo, o espírito elevado à contemplação que Frei Gil teve em toda perfeição, a prece virtuosa e constante de Frei Rufino, a paciência de Frei Junípero, o vigor corporal e espiritual de Frei João das Laudes, a caridade de Frei Rogério e a inquietação de Frei Lúcio’, enfim, o frade perfeito é a fraternidade!”

Que o Espírito Santo, Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores, ilumine esta Fraternidade em sua missão.

Por Frei Gilberto Silveira da Costa Junior, OFM.

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui