Frei Medella lembra aos acólitos o exemplo do bom samaritano

199

O Vigário Provincial Frei Gustavo Wayand Medella instituiu ao Ministério do Acolitado dez jovens frades que estão no Tempo da Teologia em Petrópolis (RJ), durante a Celebração Eucarística deste sábado (17/10), às 8 horas, na Igreja do Sagrado Coração de Jesus. O pároco Frei Jorge Paulo Schiavini e Frei Cláudio César de Siqueira, da Fraternidade São Francisco de Duque de Caxias (RJ), foram concelebrantes. Os familiares, confrades e amigos puderam acompanhar a celebração ao vivo pelo Facebook da Paróquia do Sagrado.

Os jovens Frei Alfredo Epalanga Prego, Frei Canga Manoel Mazoa, Frei Gabriel Dellandrea, Frei Hugo Câmara dos Santos, Frei Jorge Henrique Lisot Camargo, Frei Marcos Schwengber, Frei Mário Sampaio Pelu, Frei Pedro Renato Pereira da Silva, Frei Raoul Antônio Azevedo Bentes e Frei Santana Sebastião Cafunda receberam do Vigário Provincial a aprovação para este serviço. Os ministérios instituídos não ordenados remontam a uma antiga tradição da Igreja e são necessários para aqueles que se colocam no processo formativo em vista dos ministérios ordenados, ou seja, da ordenação diaconal e presbiteral.

Após a proclamação do Evangelho, o rito de Instituição do Acolitado teve início com a chamada feita pelo mestre Frei Marcos Antônio de Andrade, que apresentou os frades candidatos a receberem o ministério.

TODO FRADE MENOR É CHAMADO A SER ACÓLITO

Frei Gustavo começou sua homilia, lembrando de uma passagem da Legenda Perusina que apresenta o respeito e a devoção de São Francisco para com o Corpo de Cristo. “Por isso, quis que se escrevesse na Regra que os frades, nos lugares em que se encontrassem, promovessem o seu culto e recomendassem aos clérigos e sacerdotes que colocassem o Corpo de Cristo em lugares dignos e honrosos; se eles o não fizessem, os frades que tomassem a iniciativa”. (LP 80)

Para ele, ao ouvir este texto da Legenda Perusina, podemos notar que, segundo a orientação do nosso próprio pai e fundador, São Francisco de Assis, todo frade menor é chamado a ser acólito. “Se não o é por instituição, conforme hoje estamos instituindo estes nossos irmãos, certamente o deve ser por amor e reverência à Eucaristia, presença viva e real de Cristo em nós e entre nós”, ressaltou.

Na sua reflexão, Frei Gustavo disse que cuidar com carinho dos vasos sagrados, manuseá-los com estima e reverência, distribuir a Santa Comunhão de forma simples e solene são expressões visíveis de um amor invisível que amou a todos por primeiro e diante do qual se deseja manifestar toda gratidão. “Um ministério simples, mas profundamente fecundo. Um modo de pregar sem palavras e de tocar os corações mais aflitos e desejosos de um encontro íntimo com o Senhor. O acólito, meus estimados irmãos e irmãs, é um construtor de pontes, um facilitador do encontro entre Deus e as pessoas”, ensinou.

VASOS SAGRADOS E AÇÕES CONCRETAS

Segundo ele, este encontro é celebrado no presépio, na cruz e atualizado sobre altar, quando Jesus cumpre a promessa apresentada no Evangelho de João: ‘Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede’ (Jo 6,35). “Sentindo-nos amados e alimentados, também nos tornamos fortes para sairmos em missão”, refletiu.

Frei Medella recordou das palavras do Papa Francisco proferidas na homilia da Missa de Corpus Christi deste ano: “A Eucaristia apaga em nós a fome de coisas e acende o desejo de servir. Levanta-nos do nosso estilo cômodo e sedentário de vida, lembra-nos que não somos apenas boca a saciar, mas também as mãos d’Ele para saciar o próximo. Agora é urgente cuidar de quem tem fome de alimento e dignidade, de quem não trabalha e tem dificuldade em seguir adiante. E fazê-lo de modo concreto, como concreto é o Pão que Jesus nos dá. É preciso uma proximidade real; são necessárias verdadeiras correntes de solidariedade. Na Eucaristia, Jesus Se aproxima de nós: não o deixemos sozinho!”

“Diante desta provocação do Santo Padre e da orientação de nosso Seráfico Pai, percebemos com clareza que todo o cuidado dispensado com os vasos sagrados, com as alfaias, com os escritos que contém à Palavra de Deus, com o Santíssimo Sacramento necessariamente deve se desdobrar em ações concretas e imediatas de cuidado e carinho para nossos irmãos e irmãs que vivem toda sorte de carências e dificuldades”, observou.

JAMAIS O (JESUS) PERCAM DE VISTA

E sobre este compromisso com os últimos, mais uma vez citou ao Papa Francisco, que diz: “Há tantas pessoas privadas de um lugar decente para viver e do alimento para comer! Todos nós conhecemos pessoas sozinhas, atribuladas, necessitadas: são sacrários abandonados”. E, acrescentou: “Também a eles Francisco nos ensina o cuidado reverente e atencioso. O bom samaritano agiu como verdadeiro acólito, defendendo e cuidando da dignidade daquele sacrário humano que ele encontrou ferido, abandonado e quase morto à beira do caminho”, destacou.

“Este ministério que hoje vocês abraçam os leve a renovar no íntimo de seus corações o desejo de se conformarem cada vez mais a Jesus Cristo, a quem vocês estão se dispondo a servir no altar da liturgia e da vida. Jamais O percam de vista em sua caminhada ministerial. Tenham sempre a certeza de que o único e necessário poder que o Senhor confere a seus discípulos é o de se colocar verdadeiramente a serviço. Deus os abençoe”, concluiu.

Frei Gustavo invocou as bênçãos de Deus sobre os candidatos, que se dirigiram até o presbitério para receberem a patena das mãos do Vigário Provincial, símbolo do Corpo e Sangue de Cristo e do amor e reverência à mesa do Senhor e a Igreja. Já instituídos acólitos, durante o ofertório, Frei Canga e Frei Santana representando todos os demais, prepararam o altar do Senhor. Enquanto isso, a assembleia entoou o canto ‘Vou te oferecer a vida”.

Após a comunhão, em nome de toda Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, Frei Gustavo agradeceu às Fraternidades do Brasil e de Angola, em especial a do Sagrado e da Baixada Fluminense que são casas de formação. “Obrigado por tudo que fazem! Continuemos alegres, animando-nos mutuamente e dando força uns aos outros. Obrigado a vocês acólitos pela disponibilidade em abraçar este Ministério do Acolitado e sigamos juntos, com a graça de Deus e alimentados pelo próprio Cristo Jesus”, completou, com solene bênção final.

 

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui