Partilha do Carisma com Leigos e Leigas: horizontes e possibilidades

564
Partilha do Carisma  com Leigos e Leigas:  horizontes e possibilidades!

“Das velhas raízes do Carisma,
Deus continua
fazendo brotar,
novos rebentos,
rebentos novos”! 

Pela visão de futuro e de esperança que descortina, poucos temas são tão atuais quanto este de compartilhar com leigos e leigas a vida, a missão e a espiritualidade que brotam do Carisma da Congregação! Este é um tema que nos últimos anos vem sendo tratado com frequência nos Documentos da Igreja bem como nas assembleias intercongregacionais.

Já no ano de 1996, a Exortação Apostólica Vita Consecrata, n. 54, ao tratar da comunhão e colaboração com leigos, afirma que muitas congregações chegaram à convicção de que o seu carisma pode ser partilhado com leigos sendo convidados a participar mais intensamente de sua missão e espiritualidade. Podemos dizer que este apelo do Espírito se torna para a Vida Religiosa, hoje, uma palavra profética e uma aposta de esperança!

Nossos carismas são um dom de Deus a serviço do mundo, podendo ser vividos de diferentes maneiras de acordo com a vocação religiosa ou laical. Não podemos limitar este dom, apenas a um pequeno grupo.

Em nosso tempo, estamos diante da possibilidade de redescobrir um novo sentido para o carisma que não é tão novo e que nas suas origens já tem sido compartilhado com leigos em muitas congregações como é o caso das Ordens Terceiras. Trata-se de uma nova relação entre leigos e religiosos, construída e articulada a partir do carisma.

Em nossa Congregação, desde as origens vivenciamos de forma original e simples, a experiência da colaboração e proximidade com o povo, pela cooperação nos trabalhos cotidianos, na missão da educação e no cuidado das múltiplas dimensões da vida!

Os sinais dos tempos apontando novos vínculos, caminhos e parcerias são iluminadores e evangelizadores! A partir da Lumen Gentium, não pertencemos à estrutura hierárquica da Igreja, mas sim, a sua vida (LG 44). Esta evangélica condição nos proporciona, sem dúvida, uma maior liberdade e é ponto de encontro entre nós e os leigos.

A Vita Consecrata nos recorda ainda, que das velhas raízes do Carisma continua jorrando uma seiva trazendo novas florações! Elas são fruto da ação do Espírito que faz desabrochar novos rebentos ao longo da história, também em árvores centenárias!

Hoje, olhando para o futuro com esperança podemos construir uma realidade na qual seja cada vez mais possível partilhar com os leigos o dom do carisma (vida, missão, espiritualidade). Está diante de nós, novamente entreaberta, a porta da história!

Cabe-nos, ser protagonistas e participar deste florescimento num momento de marcante transição sociocultural e de caminhada sinodal. Os tempos de transição nos levam a mudar e a assumir a vida em nova perspectiva!

É uma bênção perceber que o dom do Carisma que recebemos do Espirito está se expandindo e que poderá se estender ainda mais! A graça de Deus está sempre atuando em nosso favor! Não podemos temer algo que pode nos superar!

Como continuar no esforço de perceber, acolher e cultivar novos níveis de percepção e de vivência de um Carisma, reconhecido como dom coletivo? Conversação, diálogo, flexibilidade, entre outras atitudes, são muito importantes no caminho do aprendizado mútuo, Carisma e missão compartilhada!

Vale lembrar que o Carisma não é apenas uma tarefa a realizar: atenção aos pobres à saúde, à educação, questões socioambientais, ou outra, mas antes uma forma de perceber Deus presente em nossa vida e de nos percebermos diante dele! Como afirma o Documento 105 da CNBB: “Vós sois o sal da terra, vós sois luz a do mundo”. O carisma é para salgar a vida!

O carisma é uma experiência de Deus compartilhada. A Igreja necessita da profecia da mesa redonda e da casa comum, necessita do testemunho da ampla irmandade, das parcerias e do caminhar juntos e juntas. Como e quem imaginamos hoje, e no futuro, junto à mesa redonda da Congregação das Irmãs Catequistas Franciscanas?

“Levanta a cabeça e conta as estrelas, se podes! ” A resposta a esse desafio requer paixão, coração estendido e imaginação! Nosso tempo e contexto pedem que a vida não se repita, mas que se entre em dias de nova fecundidade.

O Evangelho, os carismas são fonte de novidade! A seiva dos velhos carismas faz brotar novos ramos! “Das velhas raízes do Carisma, Deus continua fazendo brotar, novos rebentos, rebentos novos”!

Se continuarmos atentas e a cultivar a possibilidade da partilha do carisma também com os Simpatizantes, o poço das origens terá água abundante e muitas pessoas se sentirão atraídas. Saciadas em sua sede sairão pelos caminhos anunciando a boa nova e partilhando o pão com os pequeninos!

Fonte: cicaf.org.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui