Surda oralizada é a primeira jovem instituída como Coroinha em Paróquia do Estado do Espírito Santo (ES)

42

Frei Augusto Luiz Gabriel e PASCOM da Paróquia Santa Clara

No último domingo (19/05) dia em que a Igreja celebrou com festa a Solenidade de Pentecostes, aproximadamente 50 novos coroinhas foram instituídos para o serviço do altar na Paróquia Santa Clara de Assis de Colatina (ES). A Celebração Eucarística foi realizada no Centro de Acolhida da Caritas, pertencente a Diocese de Colatina e foi presidida pelo pároco, Frei Pedro de Oliveira Rodrigues e concelebrada pelo Vigário Paroquial, Frei Augusto Luiz Gabriel.

Os fiéis das comunidades do Setor Urbano e Rural lotaram o espaço celebrativo que foi preparado em uma quadra, para assim ser possível comportar todas as pessoas.

Entre as crianças e adolescentes instituídos, uma jovem surda oralizada da Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora, Kalyla Santos Rodrigues, também foi instituída Coroinha. Ela participou dos encontros com a presença de um intérprete. E, no último dia de formação (11/05), ela deixou um bonito testemunho para todos os seus colegas:

“Este período formativo foi muito importante para mim. Lembro que no primeiro encontro, não havia a participação de um tradutor e intérprete de Libras/Português, me senti triste naquele momento, pois não conseguia entender claramente o que estava sendo ministrado, visto que a minha língua mais forte é a de contato é a Libras. Após isso, conseguimos conversar e negociar com o Intérprete de Libras/Português, Vagner Neves, que é meu
primo, que hoje agradeço a ele por ter me ajudado a interpretar todos os discursos da língua portuguesa para Libras e vice-versa. Confesso que foi linda a minha jornada até a formação. Agradeço também a Regina e a Elenice que também doaram um pouco de seu tempo para atuarem como intérpretes no curso. Em um dos encontros aprendi com o Frei Augusto que liturgia é fazer memória e como cristã isso passou a fazer todo sentido para mim. Com a presença de um intérprete eu comecei a compartilhar com todos um mesmo itinerário. É uma satisfação estar com vocês e compartilhar com todos essa caminhada”, disse.

Durante a Celebração Eucarística Kalyla foi convidada para servir ao altar pela primeira vez. Ela não escondeu a emoção e a satisfação por poder servir.

UNIDADE NA DIVERSIDADE
Na homilia, Frei Pedro explicou que o que perpassa todos os textos litúrgicos de Pentecostes é a linguagem do amor. “Mesmo que sejamos diversos existe uma só linguagem, a do amor. Essa é grande novidade que Pentecostes apresenta”, frisou.

Segundo Frei Pedro, há necessidade da vivência da unidade na diversidade. “Pentecostes nos desafia a sabermos conviver com os diferentes. Que em nossas comunidades, nos serviços que prestamos tenhamos isso presente, nós fazemos parte de um mesmo corpo que é a Igreja”, disse o pároco. “Jesus sopra sobre a comunidade reunida o Espírito Santo.

Por isso, cada um é importante para a unidade e comunhão desta igreja”, completou. Aos coroinhas dirigiu palavras de ânimo e os explicou sobre o compromisso de servir. “Ser coroinha é ser servidor, servidora”, ensinou. “Peço as equipes de liturgia e aos ministros paciência com os nossos novos coroinhas. Ninguém nasce sabendo, graças a Deus”, indicou.

Após a homilia, teve início o rito de Instituição dos candidatos a Coroinhas. A jovem Heloísa, integrante da coordenação, os apresentou ao pároco chamando cada um pele seu nome. Em seguida Frei Pedro de Oliveira a interrogou a respeito da preparação deles. “Posso afirmar que eles estão aptos para desempenharem o serviço de Coroinhas pois demonstraram, no período de preparação, consciência e maturidade, dedicação e zelo pela Eucaristia, pelos objetos e ritos litúrgicos e demais serviços da comunidade. Enfim, testemunham o desejo de exercer bem o serviço que estão para assumir”, testemunhou Heloísa.

E, por fim, Frei Pedro perguntou as crianças e adolescentes sobre suas disposições de dedicarem-se ao serviço do altar. “Queremos ingressar no grupo de Coroinhas e desempenhar com dedicação e amor o serviço do altar e demais atividades da paróquia”, responderam.

Em seguida, Frei Pedro abençoou as vestes próprias dos Coroinhas, sinal distintivo deste serviço. E os familiares e responsáveis os revestiram. Depois, receberam das mãos dos freis um Tau Franciscano, vindo da peregrinação de Frei Pedro a Assis.

Desde o ano passado, os novos coroinhas estão sendo preparados para exercerem o serviço do altar em suas comunidades e na Paróquia. Com formações mensais e algumas vezes quinzenais, com orientação de Frei Augusto e da Coordenação dos Coroinhas, eles trilharam um bonito caminho espiritual de preparação, que culminou com a instituição. Porém, a caminhada apenas começou.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui