Declaração Nostra Aetate – Sobre a Igreja e as Religiões não-Cristãs

117

No domingo dia 28/02/21 nos reunimos virtualmente para uma conversa sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021 com base no documento Nostra Aetate.

A Declaração Nostra Aetate fala sobre as relações da Igreja com as religiões não cristãs e foi aprovada em 28 de outubro de 1965 por Papa Paulo VI.

Durante nossa conversa, falamos de forma especial do Antissemitismo, Budismo, Hinduísmo e do Islão. Notamos as formas em que estas religiões se encontram, na sua identidade, com o Cristianismo (inclusive pela Bíblia).

“Fraternidade e Diálogo: Compromisso” é o lema da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021 cujo tema é: “Cristo é a Nossa Paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Ef 2, 14).

Eis alguns trechos da Declaração:

“A Igreja católica nada rejeita do que nessas religiões existe de verdadeiro e santo. Olha com sincero respeito esses modos de agir e viver, esses preceitos e doutrinas que, embora se afastem em muitos pontos daqueles que ela própria segue e propõe, todavia, refletem não raramente um raio da verdade que ilumina todos os homens. No entanto, ela anuncia, e tem mesmo obrigação de anunciar incessantemente Cristo, «caminho, verdade e vida» (Jo. 14,6), em quem os homens encontram a plenitude da vida religiosa e no qual Deus reconciliou consigo todas as coisas.”

“Além disso, a Igreja, que reprova quaisquer perseguições contra quaisquer homens, lembrada do seu comum patrimônio com os judeus, e levada não por razões políticas, mas pela religiosa caridade evangélica. Deplora todos os ódios, perseguições e manifestações de antissemitismo, seja qual for o tempo em que isso sucedeu e seja quem for a pessoa que isso promoveu contra os judeus.”

“A Igreja reprova, por isso, como contrária ao espírito de Cristo, toda e qualquer discriminação ou violência praticada por motivos de raça ou cor, condição ou religião. Consequentemente, o sagrado Concílio, seguindo os exemplos dos santos Apóstolos Pedro e Paulo, pede ardentemente aos cristãos que, «observando uma boa conduta no meio dos homens. (1 Ped. 2,12), se ‚ possível, tenham paz com todos os homens, quanto deles depende, de modo que sejam na verdade filhos do Pai que está nos céus.”

Como franciscanos, a promoção do diálogo faz parte do nosso carisma e identidade. Lembremos da visita de São Francisco de Assis ao Sultão do Egito Malek al-Kamel em terras muçulmanas, na Quinta Cruzada e desarmado de espada mas cingido do amor ao próximo.

Paz e bem!

Edição: Sandra Regina de Oliveira Ofs
Imagem: Foto Celebrativa dos 50 anos da Declaração Nostra Aetate – 2015

Fonte: Blog da Fraternidade Imaculada Conceição

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui