Entrevista: O Serviço de Animação Vocacional para Vida Religiosa Franciscana, com Irmã Soliane da Silva, CFA

85

IRMÃ SOLIANE APARECIDA DA SILVA

Juniorista da Congregação das Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora do Amparo. Natural de Araguari (MG) e, atualmente reside em Petrópolis (RJ) na Casa Mãe. Está cursando a Graduação em Pedagogia na Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Na obra e missão da Congregação desempenha as atividades: Coordenadora do Serviço de Animação Vocacional (SAV) da Congregação, Coordenadora do Ensino Religioso na Escola Doméstica de Nossa Senhora do Amparo, contribui com aulas de formação no Postulantado, divulgações nas redes sociais da Congregação. Para além da Congregação, desempenha outros serviços: Coordenação do Serviço de Animação Vocacional da Conferência da Família Franciscana do Brasil (SAV/CFFB), compõe a equipe de Coordenação do Serviço de Animação Vocacional da CRB/RJ, como também, representa a Vida Religiosa Consagrada no Setor Juventudes da Diocese de Petrópolis.

1. Quais as ações e propostas do Serviço de Animação Vocacional da CFFB?

O SAV da CFFB enquanto atual grupo constituído vem traçando metas e objetivos frente à realidade. Contudo, em síntese consiste em: salientar a dimensão da Vida Franciscana nas suas diversas expressões e carismas; animar e promover encontros para formadores, a partir dos princípios e valores da espiritualidade franciscana; valorizar e potencializar a caminhada formativa.

Portanto, diante das propostas, o SAV da CFFB se reúne mensalmente para planejamento, avaliação e momento orante, buscando imbuir-se da ação do Espírito Santo através da missão confiada.

2. Em setembro será realizado um encontro presencial promovido pela CFFB com o tema: Vocação, graça e missão – por uma Igreja em saída, e lema: “Lázaro, vem para fora”. Poderia comentar sobre a escolha do tema e do lema além de convidar toda Família Franciscana a participar?

O Encontro presencial do SAV da CFFB é uma proposta aberta a todos que estão à frente de Animação Vocacional. Não se destina apenas aos membros da Família Franciscana. A escolha do tema foi pensada, rezada e alinhada em consonância ao Ano Vocacional 2023 que aborda, justamente, a temática: “Vocação: graça e missão” e, atentos aos apelos do Santo Padre, Papa Francisco, ampliamos na dimensão da “Igreja em saída”. Dessa maneira, temos como objetivo: possibilitar uma fecunda formação para os responsáveis da Animação Vocacional; partilhar a caminhada dentro dos desafios e perspectivas; aprofundar o papel do Animador Vocacional, sobretudo, em tempos de pandemia e outros desafios dos tempos atuais.

Por isso, com o lema: “Lázaro vem para fora” (cf. Jo 11,43) queremos fazer a provocação da saída de si ao encontro do outro, com suas fragilidades e potencialidades. E claro, o encontro consigo! Afinal, Deus nos chama a um projeto muito maior, e conta com cada um na sua disponibilidade e prontidão.

Fica, portanto, o convite a todos os Animadores Vocacionais de participar conosco desse encontro do SAV da CFFB, que vai acontecer nos dias 23 a 25 de setembro em Brasília – DF. E lembrando, as vagas são limitadas! Faça sua inscrição o quanto antes por meio do site da CFFB.

3. O mês vocacional se aproxima, a CNBB lançou como tema “Cristo Vive! Somos suas testemunhas” e lema: “Eu vi o Senhor!” (Jo 20,18) com o intuito de ajudar toda a Igreja do Brasil a testemunhar o centro da fé cristã. O SAV da CFFB em sua atual equipe está sendo constituído por todos os ramos da Família Franciscana. Por quais meios a equipe busca se aproximar das congregações, ordens, fraternidade e missões no Brasil?

O SAV vem articulando de forma intencional com demais iniciativas e propostas da CFFB. Afinal, a vocação se estende em diversas dimensões. Dessa forma, além das Lives que estão sendo articuladas e, em breve divulgadas, estamos atentos aos apelos e dinamizando com as divulgações no intuito de mostrar os trabalhos do SAV. Pois, a vocação perpassa sempre pela amorosidade e coração misericordioso de Deus encarnado.

4. Vivendo nossa cidadania, cada pessoa brasileira deve cumprir seu papel votando em candidatas e candidatos que buscam, com suas propostas, concretizar políticas necessárias à nível estadual e nacional. Baseados em Francisco e Clara, como o SAV busca auxiliar, de forma democrática, essa reflexão para a Família Franciscana?

A proposta do SAV permeia na dinâmica vocacional e, o sentido da vocação está na promoção da vida. Assim, ninguém vive a vocação isolada. É, antes um chamado voltado ao serviço do povo de Deus, sobretudo aos mais necessitados. Aprendemos de Francisco e Clara o modo de auscultar os apelos e favorecer sempre a vida, e “vida em abundância” (cf. Jo 10, 10). Dessa forma, em tempos políticos, bem como diante da vivência na sociedade, deve-se sempre se ater num contínuo compromisso com a vida. Promover a vida, é concretizar o chamamento de Deus.

5. Como religiosa franciscana, quais os desafios a serem superados para alcançarmos a equidade de gênero dentro dos serviços e espaços de formação?

Como Religiosa Franciscana, penso que evidencia o conflito na realidade com relação às gerações. O Papa Francisco em diversas ocasiões traz à tona a BELEZA entre as gerações. E isso tendo acontecido com passos gradativos no decorrer da história. Também é válido salientar, a importância da diversidade, cada pessoa é dom e traz consigo suas fragilidades e potencialidades com ritmo próprio a serem vivenciados, contudo, cada ser possui um desejo e ânsia grande de encontrar-se (SER). Assim, desafios sempre vão existir enquanto impulso de seguir em frente e não de estagnar-se.

6. Por fim, poderia partilhar conosco como foi seu processo vocacional para a vida religiosa consagrada?

O processo vocacional continua!

A cada instante é possibilidade de afirmar e confirmar o SIM ao chamado que o Senhor me confia a viver em plenitude.

Partilhando brevemente o início da minha caminhada: sempre fui muito inquieta e existia em mim um desejo grande de saber sobre vocação. E, fazendo o acompanhando vocacional, na época com um frade, ele foi me ajudando e rezando comigo sobre a vocação à qual sentia chamada. Tive contato com algumas Congregações e cheguei a fazer experiência em uma, retornando para casa após um período de convivência. Este período de convivência tenho para mim como forte encontro “Tu a tu”. As partilhas com pessoas certas, os momentos orantes e a escuta pessoal, são fatores que contribuem fortemente com o discernimento vocacional. Tendo contato com as Irmãs do Amparo no percurso vocacional, aceitei a proposta do Senhor, através das Irmãs, de fazer uma experiência na Congregação, na qual pertenço.

O novo, o desconhecido sempre assustam, o medo fica companheiro noite e dia, porém é fazer de tudo isso caminho de seguimento, de confiar na graça de Deus que jamais nos abandona. E tudo influencia na caminhada, principalmente a saída de casa. Interessante que, no tempo certo e com a graça de Deus, minha família foi compreendendo melhor sobre a Vida Religiosa Consagrada.

Hoje, me sinto realizada e sou grata a Deus por tudo que concede. As dificuldades e desafios estão sempre aí, e o modo de vivenciá-los, a fim de contribuir com a vocação, que é o grande segredo.

A Vida Religiosa não é para ser um pouco feliz, é para ser MUITO feliz, eis a felicidade que brota do coração que busca viver com inteireza e prontidão o chamado do Senhor.

E você, já descobriu qual a sua VOCAÇÃO?

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui