Jornada Franciscana CFFB Regional SP

421

Aos 23 de setembro de 2018, aconteceu em São Paulo no nosso Regional a Jornada Franciscana, no Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida – CONSA

Avenida Juriti,368 – Moema, São Paulo.

Dia em que reuniu por volta de 420 pessoas, entre religiosas/os, leigas/os, Sacerdotes e simpatizantes. Foi um momento de muita serenidade e alegria, iniciamos com a Eucaristia e seguiu-se com contribuição do Assessor: Frei Vitório Mazzuco OFM que trabalhou o tema: Tema: Laicato – Sal da terra e luz do mundo. Lema: Como ser sabor e luminosidade neste mundo? Após a reflexão todos almoçaram com a patilha dos alimentos e assumimos no regional pelo não uso do descartável, todos trouxeram o seu copo/caneca/pratinho, etc.

A experiência do Encontro na Jornada foi um marco da “espiritualidade franciscana”. Vivenciamos a acolhida recíproca dos grupos que foram chegando de todo estado de São Paulo: A OFS da cidade e do interior, Religiosas e religiosos, leigos que compartilham dos carismas franciscanos (…) enfim, sentimos reinar a simplicidade, a amizade, a paz e o bem entre todos os participantes.

Frei Vitório contribuiu com a reflexão sobre o SER LUMINOSIDADE E SABOR em tempos complexos e difíceis. Trouxe-nos, pela iluminação das fontes franciscanas e da Palavra de Deus luz e esperança no “como ser” sinal e testemunha de Deus na história e em nosso cotidiano.
Momentos fortes aconteceram e marcaram esta jornada. A Celebração Eucarística que acolheu mais de 40 grupos através de seus representantes, a refeição partilhada com experiências e alimentos variados e gostosos trazidos pelos participantes, a reflexão sobre a temática do Ano do Laicato iluminada pela espiritualidade, a Celebração da terra com as sementes do girasol; o testemunho do viver em fraternidade, defender a causa ambiental, escutar o grito dos pobres, responsabilizar-se no compromisso pelo bem comum; e, enfim, a alegria de viver a jornada na irmandade. Levamos conosco a semente plantada, sinal do compromisso e da esperança a ser cuidada em nossas famílias, fraternidades e espalhada onde quer que se encontram Franciscanos.

Agradecemos a Deus, “O TUDO”.

Ele nos ajude a reencontrar e cuidar da existência humana e cósmica.

Nosso agradecimento a todos que participaram e de alguma forma contribuíram para este encontro de irmandade na causa do Reino de Deus.

Ir. Ivoni Lourdes e Ir. Ana Lucia

Pela Equipe de Coordenação da CFFB/Regional SP.

 

____

Depoimentos de Anamalia Cunha

A alegria em participar nesta jornada foi restaurada, porque observando cada gesto e guardando muitos ensinamentos transmitidos pelos colaboradores, quem lá esteve saiu reabastecido ou tocado por esse tema.

O Lema conduzido por Frei Vitório Mazzuco trouxe-nos muito mais que um alento, trouxe esperança no sentido de “esperançar” não ficar esperando e sim avançar nessa espera saindo do comodismo atual.

É preciso sair de estado de estagnação não apenas do físico, mas também espiritual.

Testemunhos de projetos que tornaram e proporcionaram dias melhores na vida de comunidades simples, mas que com determinação saíram da esperança para o “esperançar” nos deixaram com o sentimento e a certeza de que é possível fazer mais e melhor por nossas comunidades. Ser sabor é pôr a mão na “massa”, projetar e buscar que se concretize nossas ideias para o bem comum, e não deixar que as dificuldades sejam maiores e inviabilizem todo investimento de nosso (s) projeto (s). Para isso, o propósito terá de sair do nosso coração que ao dizer: “Eis-me aqui! ” Não sejamos ingênuos que seremos servidos sem mover nossas mentes e corpos para concluí-los, até porque o Eis-me aqui! Significa nos colocarmos à serviço do bem comum.

Cada um de nós pode ser luz para o próximo de forma que ao abraçar uma causa não sejamos luz exclusiva para se ter referência única, mas sim luminosidade para atingir um propósito maior em benefício a todos.

Unindo o sabor a luminosidade teremos pessoas imbuídas nos projetos e propósitos idealizados junto à comunidade, pois muitas ideias podem e devem ser desenvolvidas de maneira simples, mas de forma organizada obedecendo as regras da sociedade, levando em conta não somente o que se pretende, mas pôr em prática. Como a fé que é preciso exercitar. Ser Sal e Luz no mundo significa sair do comodismo habitual e ir de encontro ao que precisa ser mudado e quase sempre o primeiro passo é se colocar à disposição em mudar hábitos para melhor testemunhar os benefícios que essa postura vai produzir, sem ultrapassar o limite do próximo, sem arrogância, mais tolerância.

Todos dentro desse processo de mudança sairão reabastecidos e o que for colocado em prática fluirá de forma gradual. Sabemos que acontecerão divergências, contratempos, mas elas servirão para fortalecer e dar maturidade aos envolvidos nessa caminhada de conhecimento e crescimento. Na verdade, é preciso fazer de forma simples valorizando o ser humano; seja jovem, idoso e principalmente as crianças, pois são elas que irão num tempo bem próximo dar continuidade aos projetos, e as sementes se transformarão em grandes realizações. Se utilizar da palavra amiga, um abraço forte e um aperto de mãos” como diz a canção” precisa ser mais frequente, pois integra as pessoas, elas sentem o acolhimento e isso traz ânimo. Querer ser sabor e luminosidade implica em:

  • Conhecer-se bem, dar-se a conhecer, diálogo franco sem reservas, mas com “Misericórdia”;
  • No tocante familiar sempre partilhar do amor, da fidelidade, respeito e perdão;
  •  Olhar a sua vida Espiritual no exercício da fé esperança “ esperançar” no sentido de buscar, avançar e caridade para consigo mesmo e para com o próximo;
  • Olhar a sua vida religiosa que é pôr em pratica a sua religião;
  • Olhar a sua vida de cidadão, que é observar os direitos e deveres no trabalho, na família, na escola, na política e etc.

Enfim ser sabor e luminosidade é mover-se, é sair da zona de conforto que muitas vezes nos colocamos.
Paz e bem!

Anamalia Cunha
Colaboradora do Colégio Franciscano João XXIII

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui