Laudato Si é um marco no ensino social católico, diz bispo alemão

28

“Laudato Si’ também pode ser uma bússola útil para nós no período da crise atual e mais adiante.”

Essas palavras estão contidas na mensagem de Dom Franz-Josef Overbeck, bispo de Essen e presidente da Comissão de Assuntos Sociais da Conferência Episcopal Alemã, por ocasião do quinto aniversário da publicação da Encíclica Laudato Si’ do Papa Francisco.

“Caso se queira dar um novo impulso à economia e à vida pública na Alemanha e no mundo, na crise de Covid-19 – escreve o bispo – a primeira prioridade deve ser a adoção de medidas voltadas para um futuro que respeite o clima e o meio-ambiente e equilibrado do ponto de vista social”.

Dom Overbeck enfatiza em sua mensagem que, no contexto da pandemia de coronavírus, os pobres e os mais fracos são os mais afetados, por isso precisam de atenção especial. Ademais, recorda que para além dos próprios interesses, todos são responsáveis ​​pelo cuidado da casa comum.

Uma responsabilidade que se aplica também à Igreja que compartilha as grandes questões de nosso tempo, como a alegria e a esperança, a tristeza e o medo das pessoas.

“Especialmente em tempos difíceis – afirma o prelado alemão – não devemos perder a confiança em nosso compromisso com a justiça social, que também passa pela Laudato Si e que o Papa Francisco sempre desperta em nós.”

O presidente da Comissão de Assuntos Sociais do episcopado alemão define a Laudato Si ‘como “um marco” no ensino social católico, uma vez que tem como ideia básica que a ecologia e as questões sociais devem ser consideradas em conjunto.

E como o cuidado das pessoas e a proteção dos ecossistemas estão intimamente ligados, o prelado alemão faz um chamado para “alinhar nossa vida e nossa atividade com o princípio da sustentabilidade”.

Por fim, a mensagem também destaca que um claro sinal da importância da ecologia e do homem para o magistério da Igreja é evidenciado pela Exortação Apostólica pós-sinodal “Querida Amazônia”, onde o Papa renova seu chamado para enfrentar a grande tarefa de mudança, para que a humanidade e toda a criação possam continuar a viver bem neste planeta no futuro.

Fonte: Vatican News

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui