O Centenário da Diocese de Luz e 160 anos da Paróquia de São Roque

422

À Conferência da Família Franciscana no Brasil

À Conferência dos Capuchinhos no Brasil

À Provincia da Santa Cruz – OFM

 

Caros irmãos e irmãs,

Graça e Paz no Senhor Jesus.

 

Celebrando o Centenário da Diocese de Luz e 160 anos de vida e missão da Paróquia de São Roque, nos municípios mineiros de São Roque de Minas e Vargem Bonita, estamos buscando parceiros que venham assumir conosco a alegria e os desafios de ser Igreja e de viver a missão evangelizadora nas terras da Canastra.

A seguir, apresentamos motivações, objetivos e compromissos de nossa proposta de trabalho pastoral para 2018 – 2019.

 

PLANEJAMENTO PASTORAL PAROQUIAL

 

OBJETIVO – Atender às exigências pastorais e sociais da Paróquia de São Roque de Minas, especialmente a mediação do conflito ambiental e social do Parque Nacional Serra da Canastra, à luz das diretrizes pastorais e evangelizadoras do Papa Francisco, expressas em sua Carta Encíclica “Laudato Sì”, como também da CNBB e da Diocese de Luz, assumindo a vida e a missão da Igreja a serviço do Reino de Deus na Canastra, onde a natureza geme aguardando a manifestação dos filhos de Deus (Romanos 8) e seu povo clama por vida com dignidade, justiça e paz.

JUSTIFICATIVAS – Percorrendo a paróquia, desde fevereiro de 2016, para atender as 16 Comunidades e outras tantas capelas, com uma extensão territorial de 2.500 km², levantamos uma AGENDA PASTORAL que nos parece adequada às demandas da vida e da missão da Igreja na Canastra, região de grande importância para a vida do país, como manancial e divisor de águas das Bacias Hidrográficas do Rio Grande e do Rio São Francisco.

Ao assumir a Paróquia, herdamos uma agenda paroquial com inúmeras missas e novenas; por outro lado, uma pastoral apática face às graves injustiças que, desde 1972, com a criação do Parque Nacional da Serra da Canastra, causam inúmeros danos materiais, sociais e psicológicos ao povo da região, tais como depressão, alto índice de suicídio e os males da pobreza indigna, como a desnutrição. A juventude não encontra condições de estudo e de trabalho, sendo obrigada a um ritmo de vida exaustivo durante o período de estudos.

À herança dos séculos passados, após a proclamação da República e separação da Igreja e Estado, acrescentaram-se devoções e novenas sobrecarregando as comunidades, sem fortalecer a vida comunitária e nem oxigenar a evangelização. Torna-se evidente que a renovação conciliar não fundamentou a ação pastoral, nesta região, a não de ser de forma superficial. O processo de formação na Fé atinge muito mal a algumas crianças e jovens numa catequese direcionada para a recepção dos sacramentos do Batismo, Crisma e Matrimônio.

Por outro lado, como sinais da profunda religiosidade de seu povo, os numerosos cruzeiros e capelas nos morros, as Folias de Reis e Congadas; as festas dos padroeiros em capelas ou casas de família com longa preparação, culminando com rezas revestidas de profunda devoção e com a confraternização dos alimentos partilhados nas jantas.

 

1 PROGRAMA

FORMAÇÃO NA FÉ, COMO PROCESSO PERMANENTE

OBJETIVO – O Processo de Formação na Fé nesta paróquia, constituída há 159 anos nos municípios de São Roque de Minas e Vargem Bonita, deverá ser percorrido e ministrado com referência aos valores culturais, sociais e religiosos do povo da Canastra, vivenciado nas famílias e em suas vizinhanças, associações e comunidades, ao longo de muitas gerações, visando contribuir para o surgimento de uma sociedade mais justa, fraterna e solidária.

O Processo de Formação na Fé tem como base primeira a Igreja doméstica com a tríplice missão, segundo a Conferência de Medellin: de formadora de pessoas, educadora na fé e promotora do desenvolvimento.

O conteúdo principal do processo permanente de Formação na Fé, inserido na realidade concreta da Canastra com suas belezas e agruras, seja o conhecimento das Sagradas Escrituras, pois ignorá-las é ignorar o próprio Cristo. Como outrora, os círculos bíblicos são determinantes no processo de formação inserido na vida da própria Comunidade.

O Rito de Iniciação Cristã de Adultos (Paulo VI), as diretrizes da Catequese Renovada e da Encíclica “Laudato Sí”, oferecem excelente roteiro para programa de formação de discípulos e missionários, nossa vocação batismal. Pelo Batismo somos todos ministros da Palavra, da Oração (ou Culto) e da Política (promoção do bem comum) na Igreja, na Família e na Sociedade, no pluralismo dos dons e ministérios.

PROJETOS :

1.1 – Formação de Catequistas para coordenar o processo permanente de Formação na Fé em Comunidade para a cidadania, ou seja, para que o discípulo e seguidor do Evangelho participem como sujeito da história na Família, na Igreja e na Sociedade, através do testemunho e do serviço ao Reino.

1.2 – Formação da Pastoral Familiar que capacite e motive a família a vivenciar sua tríplice missão, a partir da mesa em que toma assento, como Igreja Doméstica, para alimentar a união, celebrar a partilha e promover a solidariedade como sinal do Reino. Dentro deste objetivo, em diálogo e cooperação com a coordenação estadual, participamos do processo de implantação de uma Escola Família Agrícola na região.

1.3- Promover o Catecumenato, segundo o R.I.C.A, para as atuais “lideranças” das Comunidades da Paróquia, que as capacite e motive a dar um passo novo no testemunho, celebração, anúncio e serviço ao Reino da Vida em Comunhão neste momento crucial da história da vida no Planeta Terra.

1.4 – Formação de Círculos Bíblicos nas Comunidades e casas de famílias.

O Concílio Vaticano II já tinha insistido sobre o lugar da Palavra de Deus na vida quotidiana das pessoas e das comunidades. Ele tinha assumido por sua conta a significativa expressão “mesa da Palavra”. É importante suscitar encontros regulares em torno da Palavra, não em salão paroquial, mas em casa de um ou de outro, um pouco segundo o modelo desempenhado pela casa nos Evangelhos.

 

  1. PROGRAMA

CULTO OU VIDA DE ORAÇÃO DO POVO DE DEUS

OBJETIVO – Formar adoradores em espírito e verdade, eis a tarefa determinante para o ministério pastoral. Em todas as Comunidades seja celebrado o “Dia do Senhor”, segundo o Tempo Litúrgico, no contexto cultural, social e econômico da Canastra.

Cristo, Cordeiro de Deus, permanece em oração, imolado e glorificado, por todo sempre para a vida do mundo até que o Pai seja tudo em todos.

A oração, por excelência a Divina Liturgia, é fonte e cume da vida da Igreja. Tudo nasce da comunhão e tudo converge para a comunhão.

Observamos que a experiência de Deus, as manifestações religiosas e expressões de Fé da Comunidade Tradicional da Canastra poderiam ser objeto de uma teologia canastreira. O Papa Francisco tem insistido na teologia da religiosidade popular tão presente na vida e no itinerário da fé de nosso povo.

 

PROJETOS:

2.1 Formações de animadores e coordenadores do culto dominical, tarefa batismal a ser incentivada pelos ministros ordenados;

2.2  Formar Equipes de Liturgia e preparar subsídios para as mesmas;

2.3 Propor, capacitar e incentivar o culto na Igreja doméstica;

2.4 Implantar o Ofício Divino nas Comunidades;

2.5 Incentivar e promover a Leitura Orante da Bíblia;

2.6 Promover vigílias para maior fidelidade à missão em tempos e circunstâncias difíceis;

2.7 Promover celebrações nos cruzeiros na Quaresma e na Festa da Santa Cruz. E também celebrações ou meditações junto ao presépio e a manjedoura;

2.8 – Promover o culto Mariano centrado na meditação dos mistérios de Cristo (cfr Exortação Apostólica de Paulo VI).

 

3 PROGRAMA

SOLIDARIEDADE E COMUNHÃO

OBJETIVO – A participação na Mesa do Senhor nos compromete com a partilha do que somos e do que temos com quem está privado dos meios para viver com saúde e dignidade. No Banquete da vida todos devemos ter lugar ao redor da mesa. A Comunhão com Cristo nos compromete com o serviço da Justiça e da Paz, com a promoção dos direitos básicos da cidadania, com a preservação das fontes da vida e nãos nos permite cruzar os braços e ficar indiferentes diante da discriminação, exclusão social e marginalização. Prioritária a organização da Ação Social da Igreja na região a serviço da vida.

DESAFIOS: 

3.1  Pensar o Brasil de baixo para cima, para que o desenvolvimento seja em comunhão com as fontes da vida, justo e solidário para com tudo e com todos que vivemos e respiramos na Terra bendita, nossa Mãe em que fomos dados à luz e chamados a plenitude da vida no amor misericordioso.

3.2 A saúde, a dignidade e a cidadania do nosso povo clamam pelo nosso testemunho e serviço, com especial atenção à preservação do meio ambiente e à promoção da saúde através da educação alimentar e nutricional.

3.3 O fracasso ambiental e social do Parque Nacional Serra da Canastra exige profunda revisão da política ambiental e da legislação que a sustenta, à luz das diretrizes do que nos ensina o Papa Francisco na sua Encíclica Laudato Sí  sobre a grave crise climática.

 

CONCLUSÃO

Acreditamos que o exemplo e a intercessão de São Roque e de São Francisco de Assis, abraçando a senhora pobreza e cuidando dos feridos, nos ajudem a testemunhar e a viver o Evangelho, num mundo prenhe de cobiça e de corrupção; com uma vida simples e frugal, num mundo de concentração de riqueza e desperdício; com vida fraterna e solidária, num mundo de concorrência, exclusão e carreirismo; como trovadores da esperança e da fraternidade universal, num mundo violento e cínico.

Com esperança confiamos aos irmãos e irmãs enamorados da senhora pobreza, segundo o Evangelho de Jesus, abraçada por Francisco e Clara, sem glosa e com simplicidade, a colocar os dons com que foram abençoados, de forma eventual ou virtual, na proximidade e convivência ou à distância, para colaborar na restauração da integridade da criação e na promoção da dignidade humana nesta Serra da Canastra, majestosa e bela, sóbria e rica de dons preciosos e indispensáveis à vida, divisora de água das bacias hidrográficas do Rio Grande e do São Francisco, rio da integração nacional com quase 3 mil quilômetros de percurso desde sua nascente no Chapadão da Canastra, em São Roque de Minas, até desembocar no Atlântico unindo Sergipe e Alagoas. Os rios não dividem, assim como as ruas e estradas, mas unem!

Com abraço fraterno, votos e preces de Paz e Bem para viver com renovado fervor a comemoração dos 160 anos de criação e vida da nossa paróquia.

 

+ Mauro, outrora bispo e fundador da diocese de Duque de Caxias, ora missionário na Canastra.

 

Padre Dênis Cândido da Silva

Pároco

Diocese de Luz MG

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui