O legado de Frei Rui Depiné em site

62

A memória e a história de Frei Rui Guido Depiné, que deixou sua marca franciscana como frade da Província da Imaculada Conceição durante 40 anos no no Hospital São Roque, em Piraquara (PR), poderão ser preservadas e conhecidas pelas futuras gerações através do site “Legado do Frei Rui Depiné”, criado por um grupo de amigos, além de representantes da Congregação das Irmãs Franciscanas de São José, da Associação Beneficente São Roque (ABSR) e da Fraternidade do São Roque, com aprovação da Província da Imaculada e da família de Frei Rui.

“Frei Rui faleceu em 12/06/2020 e sua partida partiu o coração de toda comunidade, de muitos e muitos amigos que ele tinha, em todos os lugares por onde passou. Do nosso luto surgiu a ideia de fazermos o Site ‘Legado do Frei Rui Depiné’ – www.freiruidepine.com.br -, em homenagem ao trabalho deste frade franciscano que doou a vida pelos outros”, escrevem os amigos na apresentação.

Este momento foi celebrado durante a Santa Missa neste domingo, 10 de outubro, presidida por Frei Antonio Joaquim Pinto, na Igreja de Piraquara.

“Nas poucas vezes que estive com Frei Rui, suas atitudes, seu modo compreensivo e terno de falar, parecia sempre nos questionar, sem qualquer desrespeito, sem qualquer ar de superioridade, sem agredir, sem julgamento, sempre nos questionando”, disse Frei Joaquim.

Na reflexão do Evangelho deste domingo, o jovem rico desisti de seguir Jesus porque era muito rico, mas Frei Rui disse sim seguindo o exemplo de Francisco de Assis. “De fato, a vida de Frei Rui, foi sendo total doação, exemplo único de amor, solidariedade humana, abnegação e altruísmo. Sua vida foi pura expressão do amor. Parecia sempre questionar o nosso modo de viver, mas afinal o que é que eu faço que significa concretamente estar vivo, verdadeiramente viver? São pessoas assim, esses bons mestres de vida, que nos fazem refletir. O que na minha vida, no meu modo de viver, tem de eterno?”, questionou o celebrante.

“Onde há amor, caridade, Deus ali está, porque Deus é amor. Frei Rui não só bem entendeu esta verdade. Sua vida era assim. Acima de tudo a caridade, o amor. Um franciscano sempre animado, entusiasmado, de esperança em esperança, mas no vigor da caridade, que perdurou em todo o seu itinerário religioso. No querer sempre voltar-se para o outro, cuidar do outro, ajudar o outro como podia, nos transmitir o modo de ser do Deus de Jesus Cristo: amor e caridade”, enfatizou Frei Joaquim.

Segundo o frade, a boa disposição e atenção amável com que Frei Rui acolhia e cuidava de cada pessoa que vinha ao seu encontro, com certeza ele aprendeu de Jesus, esse modo, como diz o Evangelho de hoje, que Jesus tinha de olhar para o outro com amor. “Ele ensina ao jovem como ter fome e sede do que realmente pode tornar plena a vida. Somente observar a lei não realiza ninguém. Por isso, Jesus conclui abrindo um novo e radical horizonte: só uma coisa te falta, vai e vende o que tem e dá aos pobres. Doa, oferece. Você será feliz se for capaz de fazer alguém feliz. Você não é o que você tem; você é o que você dá, doa. Frei Rui aprendeu essa lição do Senhor. A vida de Frei Rui era simples, pura e total doação. Todos os testemunhos dizem que ele não descansava enquanto não percebia a satisfação no rosto das pessoas. Ele não parava e procurava sempre dar um pouco de tudo, fosse algo material ou um olhar, escutar com atenção, falar sem faltar com a caridade, como ensina Jesus no Evangelho de hoje”, explicou Frei Joaquim.

Quando o Hospital São Roque foi reestruturado e os internos foram liberados, podendo morar em suas próprias casas, muitos deles não tinham mais para onde ir. Haviam perdido contato com as famílias e não podiam prescindir do tratamento que ainda continuariam a fazer no Hospital. Então, Frei Rui começou o grande trabalho, com ajuda de benfeitores, para comprar terrenos próximos ao Hospital e construir casas para os egressos.

Entre as décadas de 1980 e 90, aconteceu uma grande onda migratória para Piraquara. Muitas famílias vieram de várias partes do Brasil sem emprego, sem moradia, sem condições de uma vida digna. Neste contexto, ampliou-se ainda mais o trabalho do Frei Rui, que construiu, com os benfeitores, mais de mil casas, especialmente nos bairros de Guarituba, Vila Macedo, Santa Mônica, Jardim Primavera, Bela Vista, São Cristóvão, além de outros bairros de Piraquara e região. Inclusive, naquela época, o bairro do Guarituba tinha o solo muito encharcado. Era difícil para as famílias viverem ali. Mas Frei Rui novamente mobilizou os benfeitores para levar centenas de caminhões de terra, deixando o solo mais adequado, o que contribuiu para melhorar a qualidade de vida das pessoas que lá moram. Também prestou relevante assistência aos índios Guaranis, da Aldeia Araçaí, que vivem nas montanhas de Piraquara.

A promoção humana junto aos mais carentes aconteceu das mais diversas formas, além das construções das casas: distribuição de comida, remédios, móveis, roupas, material escolar para as crianças, organização de festas de Natal, Páscoa, Dia da Criança com farta distribuição de doces e brinquedos. O que alegrou a infância de muitos habitantes, hoje adultos. Este imenso trabalho de ajuda ao próximo só foi possível pela constante e fraternal parceria das Irmãs da Congregação das Irmãs Franciscanas de São José, que atuam no São Roque desde 1926. Até hoje, as Irmãs do São Roque também continuam o trabalho do Frei Rui distribuindo cestas básicas para 170 famílias cadastradas, moradoras dos bairros de Santa Monica, Vila Macedo, Guarituba, Planta Deodoro, Bela Vista, Laranjeiras, Esmeralda e Santa Maria. Com a pandemia, ampliou-se o atendimento das famílias e mais de 250 cestas básicas estão sendo distribuídas por mês.

Frei Rui também ajudou várias Associações, Entidades Filantrópicas e Beneficentes. Entre elas, a Fundação Pró-Hansen, onde foi um dos fundadores e Conselheiro. De forma incansável buscou recursos para que a Fundação pudesse realizar estudos, pesquisa e produção de medicamentos contra hanseníase. Ele também teve muita ajuda da Associação e Oficinas de Caridade Santa Rita de Cássia, entre outras. Sempre esteve presente nos Hospitais e destacamos sua atuação no Hospital San Julian, levando sua presença e palavra de esperança e de fé. Frei Rui Depiné também teve uma forte atuação junto à Colônia Penal. Alguns dos presos eram envolvidos em trabalhos no Hospital São Roque. Além da orientação espiritual, Frei Rui ensinava algumas atividades de capacitação profissional como marcenaria, e eles também cuidavam do jardim do Hospital. Frei Rui atendia Penitenciárias, Delegacias, fazia sepultamentos, visitava as casas de todos, dos mais abastados aos mais necessitados, dos excluídos, dos desvalidos, dos injustiçados; sempre levando o pão, o remédio, o agasalho, mas, principalmente, sua presença franciscana e amiga.

Fonte: Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui