Fazenda da Esperança: há 38 anos, uma obra de amor e solidariedade

113

Atualmente, há 156 unidades em 23 países; destas, 96 estão no Brasil e atendem mais de 4 mil pessoas.

Tudo começou numa esquina do bairro de Pedregulho, em Guaratinguetá (SP), onde alguns jovens se reuniam para traficar e consumir drogas. Ali, no início da década de 1980, o jovem Nelson Giovanelli Rosendo dos Santos iniciou a concretização de um ideal: viver o Evangelho, mas inserido no meio daqueles em situação de drogadição.

Juntamente com Frei Hans Stapel, da Ordem dos Frades Menores, OFM, nascia ali a Fazenda da Esperança, com o intuito de resgatar homens e mulheres do mundo das drogas.

Em 2010, as atividades sociais da Fazenda da Esperança foram reconhecidas pelo Pontifício Conselho para os Leigos da Igreja Católica, sendo chamada Família da Esperança.

A Fazenda da Esperança, que há 38 anos atua na recuperação de dependentes químicos, conta com quatro casas para acolhimento de portadores de HIV em fase terminal, várias creches, trabalho de ressocialização de homens e mulheres que vivem em situação especial, retirados de manicômios.

Obra de Deus

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a vulnerabilidade em relação às drogas afeta cerca de 275 milhões de pessoas, o que representa 5,5% da população mundial entre 15 e 64 anos.

A Fazenda da Esperança abre suas portas para os que, de certa forma, caíram nesse buraco sem fundo, estendendo suas mãos para reerguer e recuperar a todos. O processo de recuperação, sem fazer uso de medicamentos, está baseado no tripé: espiritualidade, trabalho e vida comunitária.

“A espiritualidade como um caminho de descoberta do sentido da vida, fundamentada na proposta de viver a Palavra de Deus na prática da vida e na comunicação dessa vivência. O trabalho é parte integrante da recuperação no sentido da autossutentabilidade, o resgate da dignidade por meio de algo que sustente a pessoa durante o período de recuperação. E a vida comunitária num estilo de vida em família, que possibilita a ressocialização”, disse Santos, destacando ainda que esse é o caminho de transformação da dor em amor.

A maioria dos que procuram a instituição necessita de um resgate profundo no âmbito da fé, do sentido da vida, da ressignificação nos aspectos humano, espiritual, ético, moral e social.

“Nós nos preocupamos em resgatar a pessoa em todos os aspectos para que ela encontre o sentido da vida e busque trilhar o caminho da santidade. A vivência da espiritualidade permeia o processo de restauração física e psíquica. O sofrimento causado pela droga e a libertação dos vícios é muito mais do que uma recuperação: é descobrir um novo estilo de vida, é descobrir Deus”, disse Frei Hans.

Em 2007, o Papa Bento XVI visitou a sede da Fazenda da Esperança em Guaratinguetá, quando esteve em Aparecida (SP) para presidir a 5ª Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe (Celam). Na ocasião, ele pediu: “Sejam embaixadores da esperança”.

Buscar Ajuda

A Fazenda da Esperança acolhe pessoas entre 18 e 59 anos que desejam livremente se recuperar de drogas, álcool e tantos outros tipos de vícios. O tratamento corresponde a um processo pedagógico de 12 meses de duração.

“A quem pretende receber o tratamento em uma das unidades da Fazenda da Esperança, o primeiro passo é escrever uma carta de próprio punho, manifestando os motivos da sua vontade de buscar a recuperação. O pedido de ajuda deve ser enviado à comunidade mais próxima de sua residência”, afirmou Santos, que em 2018 foi nomeado pelo Papa Francisco como membro da Comissão Pontifícia para a Proteção de Menores.

“A pessoa que chega até a Fazenda percebe que não existe um portão com tudo trancado. Quem está ali é porque deseja. Aos que não acreditam mais em nada, esta é uma oportunidade de encontrar um novo estilo de vida”, ressaltou Frei Hans, enfatizando o clima de família. “Os acolhidos têm a experiência de sentar-se juntos à mesa para as refeições, conviver ao realizar diversas atividades em grupo, como o trabalho e a prática de esportes”, contou, afirmando que viver bem cada etapa é importante para que não aconteça uma recaída mais à frente.

O grupo de apoio Esperança Viva é formado por pessoas recuperadas nas Fazendas e que, com seus familiares, se reúnem regularmente com o objetivo de manter a sobriedade. “É uma extensão da missão da Fazenda da Esperança e encaminha novos jovens para o tratamento”, afirmou Santos.

Nova Sede

Em fevereiro de 2020, foi inaugurada a sede da Fazenda da Esperança em Parelheiros, extremo sul da cidade de São Paulo. A Fazenda Sagrada Família está localizada na Estrada do Taquaral, 250, e atende 33 adictos e pessoas em situação de rua.

Jorge Eduardo Cabral Veloso, 33, é o responsável em Parelheiros. É um ex-adicto atendido pela entidade e hoje atua como voluntário.

“A Fazenda é um divisor de águas na minha vida. Fui acolhido para minha recuperação, reencontrei o sentido da vida, a importância de ajudar o próximo e hoje posso dar continuidade a essa missão de resgatar vidas como voluntário”, disse.

Em breve, na unidade serão inauguradas uma padaria e uma cozinha com o intuito de angariar fundos para a manutenção da casa, que é feita substancialmente por meio de doações de pessoas físicas, empresas e parcerias.

As Fazendas proporcionam a milhares de pessoas uma chance de recomeçar. Frei Hans celebrou com gratidão a Fazenda em Parelheiros, “para acolher novas pessoas em uma região marcada pelo alto índice de drogadição”.

Fila de Espera

Com a pandemia de COVID-19, a Fazenda da Esperança, sensibilizada diante do crescente número de pessoas em situação de rua, estendeu sua linha de atuação para acolher mais de 2,1 mil pessoas que não têm onde ficar.

Nelson Giovanelli explicou que o objetivo da comunidade, “além de dar um teto, comida e a possibilidade de se proteger do vírus, é dar um sentido de vida a eles, porque não pensamos só na situação deles agora, mas para o futuro”, disse, destacando que, inclusive, há fila de espera de pessoas em situação de rua que buscam a instituição. Desse modo, todo tipo de apoio e doações para continuar transformando vidas é bem-vindo.

Vidas Restauradas

“Ingressei no mundo das drogas com o álcool, o cigarro, a maconha. Depois, vieram as outras drogas. Cheguei ao fundo do poço. Quando me vi nessa situação, pedi para minha mãe me internar e hoje estou na Fazenda da Esperança de Parelheiros para me recuperar e perto da casa da minha família. Sou um ser humano melhor, grato e à disposição da Fazenda para ajudar outros jovens a buscar ajuda e recuperação.”

Marcelo César

“Faz 17 anos que eu luto contra o alcoolismo. Abandonei minha casa, minha família e fui viver nas ruas. Comia do lixo. Tinha desistido de mim e da vida. Em junho de 2020, estava dormindo na rua e minha tia me encontrou. Ela falou da Fazenda da Esperança e me mostrou depoimentos de jovens em recuperação na internet. Decidi aceitar o tratamento. No dia 8 de agosto foi a minha acolhida na Fazenda da Esperança. Aqui, todos os dias, tenho a oportunidade de viver a Palavra de Deus. Descobri a minha vocação que é amar, independentemente das dificuldades, e compartilhar o que tenho com os irmãos.”

Thiago Martins de Paula

Conheça e Colabore

www.portalfazenda.org

Fonte: O São Paulo – Semanário da Arquidiocese de São Paulo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui